Notícias

Voltar

Coordenadoria da Mulher realiza seminário sobre presença feminina no Judiciário

Magistradas lado a lado

Magistradas de diferentes gerações do TJPE

Debater igualdade de oportunidades no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) com base na Resolução 255/2018 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que institui a Política Nacional de Incentivo à Participação Feminina no Poder Judiciário. Com esse objetivo, a Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar promoveu, na sexta-feira (29/3), o seminário “Por Elas e Para Elas: Equidade de gênero e os desafios do Poder Judiciário”. O evento foi realizado no auditório do Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, Ilha Joana Bezerra, no Recife. Confira mais fotos do evento AQUI.

A abertura do seminário foi conduzida pela coordenadora estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica, desembargadora Daisy Andrade. “O TJPE antecipa-se ao promover esta conversa, buscando dar visibilidade ao papel que as magistradas e servidoras exercem neste Poder e, assim, fortalecer ainda mais a nossa atuação na instituição. Este evento amplia a nossa expectativa de uma magistratura atenta aos desafios e na busca perene e permanente da unidade necessária para o cumprimento do nosso maior objetivo, que é a Justiça”, afirmou a magistrada.

Público assiste ao seminário

Público acompanhou evento realizado no auditório do Fórum do Recife

Além da desembargadora Daisy Andradre, a mesa de honra do evento foi composta pelo diretor-geral da Escola Judicial de Pernambuco (Esmape/TJPE), desembargador Jones Figueirêdo, que, na ocasião, também representou a Presidência do Tribunal. Representando a Associação dos Magistrados do Estado de Pernambuco (Amepe) e a Corregedoria Geral da Justiça, estiveram presentes o desembargador Eudes França e a juíza Fernanda Chuahy, respectivamente.

“Parabenizo as magistradas do TJPE por sua postura combativa, corajosa, altruísta. O papel feminino da magistratura pernambucana dá seu exemplo para todo o País, demonstrando que a Justiça é Themis”, afirmou o desembargador Jones Figueirêdo.

Desembargadores lado a lado

Desembargador Jones Figueirêdo, desembargadora aposentada Magui Lins Azevedo e desembargadora Daisy Andrade

A programação do seminário “Por Elas e Para Elas” contou com palestras voltadas para a temática da equidade de gênero. As palestras foram proferidas pelo professor pós-doutor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Sandro Sayão; pela titular da 13ª Vara Cível da Capital – Seção A, juíza Mariana Vargas; e pelo ex-presidente do TJPE, desembargador Frederico Neves.

Sobre a Resolução 255/2018 do CNJ, a desembargadora Daisy Andrade destaca a importância da sua aplicação. "É muito representativo para o TJPE começar a pensar e discutir esta resolução, de forma a refletir na busca pela maior participação feminina, contribuindo cada vez mais para o aprimoramento do Poder Judiciário e dando ao tema a relevância e a naturalidade necessária", ressaltou.

Palestrantes do evento lado a lado, com uma mulher segurando flores

Desembargador Frederico Neves, juíza Mariana Vargas, desembargadora Daisy Andrade e professor Sandro Sayão

Homenagem – O evento incluiu em sua programação a homenagem a três desembargadoras aposentadas do TJPE. Receberam placas comemorativas as magistradas Helena Caúla Reis, Magui Lins Azevedo e Alderita Ramos, que, na ocasião, foi representada pelo filho, Flávio Barbosa.

A coordenadora da Mulher do TJPE, desembargadora Daisy Andrade, também escreveu dois acrósticos em razão do Mês da Mulher e do encerramento das homenagens realizadas pelo Judiciário sobre o tema. Confira abaixo.

Acróstico I

Muitas vezes buscamos respostas para tantas indagações,
Ansiamos por soluções das mais diversas para
Garantir que a harmonia e a JUSTIÇA seja
Inserida no cotidiano das pessoas como mola propulsora da nossa razão de 
Ser e existir. Digo assim porque enquanto agentes de
Transformação social, somos todas e cada uma 
Responsáveis por vidas e pessoas que estão sob os nossos cuidados e,
Acima de tudo que estão à espera de definições as quais por vezes
Demoram a chegar, gerando sentimentos
Adversos e colocando à prova a nossa capacidade de nos
Sensibilizarmos com angústias alheias. Nossa palavra de

Encorajamento e desejo de que cada dia

Sejamos atentas e assumamos a nossa
Escolha como instrumentos na promoção e acesso à JUSTIÇA,
Refletindo a cada momento o nosso papel de
Velar pela nossa instituição e, acima de tudo,
Incentivar aos que estão à nossa volta para caminhar na mesma
Direção, certas de que podemos nos
Orgulhar de cada conquista e desfrutar de todo
Respeito e atenção que naturalmente vamos
Alcançando, na certeza de que assim
Seremos sempre operadores da JUSTIÇA.

Magistradas lado a lado

Desembargadora Daisy Andrade; desembargadoras aposentadas Helena Caúla Reis e Magui LIns Azevedo; e juíza Mariana Vargas

Acróstico II 

Em cada ano sempre acontecem muitas homenagens
Ligadas às mulheres e à sua participação na sociedade como
Aguerridas protagonistas de mudanças, movimentos,
Situações, pensamentos, comportamentos, etc.

A presença da mulher nas diversas áreas e nos diversos papéis,
Simboliza uma evolução acentuada na busca por um equilíbrio, tão  

Minado e comprometido ao longo da história da sociedade,
A partir de olhares despreocupados com as
Garantias de direitos e a equidade de condições entre homens e mulheres.
Inegavelmente cada vez mais precisamos mudar nossa lente, 
Seguros de que não há mais tempo e nem modo diferente para nos
Tornarmos protagonistas da harmonia que precisa imperar em cada 
Recanto, em cada olhar, em cada movimento, em cada
Atitude, em cada projeto, em cada comportamento.
Deixemos para trás tudo aquilo que de
Alguma forma possa comprometer o equilíbrio necessário
Simbolizado pela balança da JUSTIÇA.

Desejo que cada pessoa assuma, de forma
Especialmente dedicada, o compromisso de a uma só voz

Proclamar que a nossa
Esperança não é malograda e ela
Reflete o pensamento cada vez mais
Nutrido de alcançar os corações,
Ampliando nossa expectativa de uma
Magistratura atenta aos desafios e em
Busca perene e permanente da
Unidade necessária para o
Cumprimento do nosso maior mister que é a
Operação da JUSTIÇA.

Daisy Maria de Andrade Costa Pereira
Desembargadora
Presidente da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar – TJPE

......................................................................................................................
Texto: Redação | Ascom TJPE
Fotos: Silla Cadengue | Cacoete Produções | Ascom TJPE