Notícias

Voltar

Fórum do Recife terá salas de aula para jovens do projeto Justiça Libertadora, que será lançado nesta sexta (1º/9)

Marca do Justiça Libertadora, que mostram dois pássaros em formato de mão que se apertam
Criada pela Assessoria de Comunicação Social do TJPE, marca mostra um aperto de duas mãos nas cores azul e laranja, representando a parceria entre Judiciário e sociedade, ao mesmo tempo em que são dois pássaros com referência à liberdade

Ação de inclusão social promovida pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) em parceria com o Serviço Social da Indústria (Sesi), o Justiça Libertadora será lançado às 10h desta sexta-feira (1º/9), no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, localizado na Ilha Joana Bezerra. O projeto irá oferecer cursos gratuitos de inglês e informática a 165 jovens moradores da Comunidade do Coque. As aulas começam na segunda-feira (4/9) e serão realizadas em uma estrutura montada no Hall Monumental do Fórum do Recife.

Idealizado pelo presidente do Judiciário estadual, desembargador Leopoldo Raposo, o projeto engloba atividades que proporcionam aos jovens a perspectiva de formação continuada e conhecimento extensivo ao adquirido na escola com cursos de inglês e informática, duas formações essenciais tanto para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) quanto para o mercado de trabalho. Os professores dos cursos formativos são docentes do Sesi.

Nesta etapa inicial do projeto, foram disponibilizadas 80 vagas para o curso de informática e 85 para o curso de inglês. Para a formação em língua inglesa, serão 4h/aulas semanais, realizadas em dias intercalados. Para informática, as aulas também serão realizadas duas vezes por semana, com duração de 90 minutos cada uma. Material didático e fardamento serão disponibilizados pelas duas instituições.

O processo de escolha dos alunos beneficiários dos cursos ocorreu através da colaboração da Orquestra Criança Cidadã, que selecionou os estudantes em três escolas da Comunidade do Coque: Escola Municipal Professor José da Costa Porto, Escola Estadual Monsenhor Manuel Leonardo de Barros Barreto e Escola Estadual Joaquim Nabuco. Para a participação, o critério utilizado foi o mérito escolar, representado através de boas notas e participação durante as aulas.
..............................................................................................................
Texto: Marília Ferreira | Ascom TJPE
Revisão: Francisco Shimada | Ascom TJPE
Ilustração: Núcleos de Publicidade e Design | Ascom TJPE