Notícias Notícias

Voltar

Galeria dos Ouvidores do TJPE é inaugurada

Na galeria, os visitantes conhecem os ex-dirigentes da Ouvidoria e um pouco da sua gestão


Registrar a história da Ouvidora Geral da Justiça e a contribuição dos seus gestores. Este é o objetivo da Galeria dos Ouvidores do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), inaugurada nesta segunda-feira (29/3). Devido à pandemia da Covid-19, a cerimônia foi realizada de forma virtual, por meio da plataforma Cisco Webex, e transmitida pelo Canal do YouTube do TJPE. Os integrantes da Mesa Diretora, desembargadores e juízes do Poder Judiciário pernambucano; o ministro do Superior Tribunal de Justiça e diretor da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam), Og Fernandes; além de outras personalidades estaduais e nacionais participaram do evento.

Ao iniciar a solenidade, o ouvidor-geral, des. Eduardo Sertório Canto, prestou uma homenagem aos mais de 2 milhões, setecentos e oitenta mil mortos vítimas do coronavírus no mundo com um minuto de silêncio. Após esse momento, o presidente do Judiciário de Pernambuco, des. Fernando Cerqueira, saudou os presentes e parabenizou o ouvidor-geral pelo trabalho realizado. “O desembargador Eduardo Sertório tem desenvolvido um trabalho excepcional, deixando Pernambuco entre as Ouvidorias mais bem avaliadas de todo país”, afirmou o presidente. Na sua fala, o desembargador também destacou a relevância da celebração. “É uma honra para Pernambuco sediar esse encontro, que apesar de ser a inauguração da Galeria dos Ouvidores e uma homenagem ao seu primeiro ouvidor, não deixa de ter a sua importância nacional”, disse.

Durante o seu discurso, o ouvidor-geral falou um pouco sobre a iniciativa, que prestigia a comemoração dos 200 anos de criação do TJPE celebrados neste ano. “A Galeria foi pensada a partir da perspectivaem deixar para a história algo permanente, registrado nas nuvens cibernéticas. Está sendo criada para se tornar um local de visitação virtual ou presencial. É um projeto-piloto da Ouvidoria para o futuro Museu da Imagem e do Som do TJPE”, explicou o desembargador. Eduardo Sertório também destacou a importância e a contribuição de cada ouvidor para o órgão, sentindo-se realizado em poder agradecer e reconhecer em público o trabalho promovido por cada dirigente.


Evento reuniu representantes nacionais e estaduais do Judiciário brasileiro

O ministro Og Fernandes, primeiro ouvidor-geral, representou todos os nove gestores que lhe sucederam e falou sobre a relevância do papel da Ouvidoria. De acordo com ele, inspirado pela visão de Mauro Cappelletti, o setor é a quarta onda do acesso ao Judiciário, onde há o olhar de empatia com os usuários que desejam ser ouvidos. “A Ouvidoria é um instrumento extremamente forte nesse cenário para legitimação do único Poder que não foi escolhido pelo povo, para a transparência do Poder Judiciário e para a busca de eficiência do serviço público”, afirmou. “Esta Casa, a minha Casa, a nossa Casa sente-se honrada por ter instituído a primeira Ouvidoria Judiciária em caráter permanente em 1998, antecipando-se em seis anos à previsão constitucional”, disse o ministro emocionado ao lembrar do trabalho desenvolvido e à contribuição dada às Ouvidorias criadas posteriormente.

Ao final do evento, foram exibidos os vídeos com as apresentações da Orquestra Criança Cidadã, que tocou a canção Aquarela do Brasil do compositor Ary Barroso, e do Coral do Tribunal de Justiça de Pernambuco, que interpretou a música Madeira que cupim não rói de Capiba. 

A Galeria dos Ouvidores do Tribunal de Justiça de Pernambuco está localizada no térreo do Edf. Paula Baptista, situado próximo ao Palácio da Justiça, no bairro de Santo Antônio. Até o final da gestão do atual ouvidor-geral, os depoimentos dos ex-dirigentes e funcionários que trabalharam no local estarão disponíveis para os visitantes. A Ouvidoria Geral da Justiça foi criada em outubro de 1998, por meio da Resolução nº 105 do TJPE, e é um elo de comunicação entre o Poder Judiciário pernambucano e a sociedade.

............................................................................
Texto e imagens: Cláudia Franco | Ascom TJPE