Notícias

Voltar

Iniciativa de Vara de Família e Registro Civil de Olinda busca incentivar a conciliação

Participantes sentados em volta de uma mesa em sessão de conciliação

Juíza Maria Adelaide Monteiro de Abreu Lacerda Melquiades (direita) e equipes incentivam a conciliação

A 2ª Vara da Família de Olinda, em parceria com o Centro Judiciário de Solução de Conflitos (Cejusc) da Comarca e a Câmara Privada de Conciliação da Faculdade Barros Melo, promovem audiências de conciliação com o intuito de solucionar conflitos de forma célere e pacífica, a fim de que as partes fiquem satisfeitas com os acordos firmados entre elas. A iniciativa é da magistrada Maria Adelaide, titular da unidade judiciária.

Mensalmente acontecem audiências com um esforço concentrado de toda equipe da 2ª de Família e do Cejusc de Olinda, com a atuação de conciliadores da Câmara da Barros Melo. Na última semana, em 26 de outubro, todos os 31 processos pautados para o dia foram solucionados. A iniciativa busca disseminar a cultura de conciliação de forma contínua, com base no Código de processo Civil, fazendo com que as partes reestabeleçam o diálogo, formulem um acordo homologado pelo Juízo com validade de decisão e não entrem com uma ação na justiça.

Até esta sexta-feira (3/11), estão abertas as inscrições para quem tem uma ação na Justiça estadual e deseje solucionar o caso através da conciliação. Processos de pensão alimentícia, guarda de filhos, divórcio, cobranças de taxas, desentendimento entre vizinhos entre outros podem ser cadastrados no site do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) para que possam ser analisados e entrar na pauta da 12ª Semana Nacional da Conciliação, que acontece de 27 de novembro a 1º de dezembro. Clique AQUI e faça a inscrição.

As sessões de conciliação serão realizadas nas Varas e nos Juizados Cíveis e Criminais, nos sete Centros Judiciários de Solução de Conflitos (Cejuscs) de Pernambuco e nas 28 Câmaras Privadas de Conciliação instaladas em todas as regiões do Estado. A realização do evento nas unidades judiciárias será coordenada pelo Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec) do TJPE e organizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
.............................................................................................................
Texto: Rayama Alves | Ascom TJPE
Edição e revisão: Francisco Shimada | Ascom TJPE
Foto: Nupemec TJPE