Notícias TJPE Notícias TJPE

Voltar

Juiz realiza casamento virtual para tentar conter a transmissão do coronavírus

O sim foi dito de forma virtual no casamento dos noivos Marcelo Siqueira de Araújo e Denise Coutinho Guimarães. A união foi realizada na terça-feira (17/3) por meio de uma chamada de vídeo do celular do juiz da 1ª Vara de Família e Registro Civil da Capital do Recife, Clicério Bezerra. Foi a forma encontrada por ele para tentar evitar a proliferação do coronavírus (Covid -19), impedindo aglomerações, e não frustrar os noivos.

O magistrado fez a cerimônia do Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, na Ilha do Leite, ligando para o casal, que se encontrava no Cartório do 6º Registro Civil, no bairro das Graças. Lá, eles ouviram uma cerimônia rápida do juiz, junto a testemunhas e ao oficial de registro civil. Com um sorriso no rosto, Clicério foi direto à pergunta principal: “É de livre e espontânea vontade que desejam se casar”? Após o sim, ele deseja felicidade aos noivos com um sorriso ainda maior.

Clicério diz que realizar casamento é o momento mais feliz para ele como juiz de família “porque é efetivar a concretização de um sonho, é fazer parte do início de uma nova vida cheia de expectativas”. “Normalmente, costumo falar sobre o que significa essa união, das diferenças entre os noivos, das dificuldades e alegrias que vão encontrar, do quanto é bom dar início a uma nova história, mas ali o que importava era fazer uma cerimônia simples e mandar os noivos para casa”, revelou.

A perita papiloscopista Denise Coutinho Guimarães Siqueira fala o que achou da cerimônia virtual. “Foi uma experiência fantástica por conta do contexto. Ficamos muito apreensivos se realmente haveria o casamento civil. E nós dois estávamos no corre corre de fazer um jantar para os familiares quando foram divulgadas as informações sobre as medidas restritiva e começamos a desmarcar os convidados do grupo de risco e os que eram de outras cidades. Daí surgiu a pergunta: e o casamento? Liga nosso cunhado Gabriel, já no fim da tarde, mandando correr para o cartório de registro civil e diz: ‘O juiz vai casar vocês’. Quando chegamos descobrimos que ia ser por Whatsapp! Ficamos passados e aliviados pela atitude de disponibilizar a realização do nosso sonho através de uma vídeo chamada. Nem pensamos e embarcamos na cerimônia”, contou.

O noivo, Marcelo Siqueira de Araújo, professor do Estado, torce que a tecnologia facilite a união de outras pessoas nesse período de pandemia e fala se valeu a pena. “Com certeza valeu. Quanto aos planos de celebração tudo foi adaptado, participando desse momento só a minha família e a dela. O mais importante realmente é que concretizamos nosso amor”, disse.

O magistrado durante a chamada de vídeo para realizar o casamento

O juiz Clicério reforça os cuidados nesse período de pandemia. “A única forma de deter a transmissão é evitando a aglomeração e o deslocamento das pessoas. Temos que fazer a nossa parte para tentar impedir a transmissão do vírus. No casos desses noivos, os trâmites já tinham finalizado e eles já tinham marcado a data da união civil”, explicou. Na quarta-feira (18/3), Clicério Bezerra realizou mais quatro casamentos da mesma forma, também no bairro das Graças.

Para combater a transmissão do Coronavírus (Covid -19) diversas medidas foram adotadas pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). A principal foi a suspensão do funcionamento presencial nas unidades judiciais e administrativas de todo o Estado, mantendo os serviços judiciais, na última terça-feira (17/3). Os atendimentos e as atividades da Justiça estão acontecendo de forma remota.

.........................................................................................

Texto: Ivone Veloso  | Ascom TJPE
Imagem: iStock
Foto: Cortesia