Publicador de conteúdo

Retornar para página inteira
Voltar

Mutirão de Perícias Médicas do Seguro Obrigatório DPVAT realiza mais de mil laudos

 
No total, 1.223 perícias foram realizadas durante o Mutirão de Perícias Médicas do Seguro Obrigatório DPVAT
 
O Mutirão de Perícias Médicas do Seguro Obrigatório DPVAT, promovido pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), terminou nesta sexta-feira (17/6), com a realização de 1.223 perícias. Sete médicos especializados na área de ortopedia indicados pelo Judiciário estadual atuaram na ação, promovida desde segunda-feira (13/6), no Hall Monumental do Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, na Ilha Joana Bezerra, no Recife.
 
O presidente do TJPE, desembargador Leopoldo Raposo, destacou que a principal meta da iniciativa é reduzir o tempo de espera do cidadão pela resolução do seu processo. "Buscamos humanizar cada vez mais o atendimento no Judiciário, investindo em ações que abreviem o trâmite processual ou resultem em acordos, que é a forma mais justa de se resolver uma demanda porque há um consenso entre as partes", afirmou.
 
Promovido pela Seção Especializada de Mutirões de Conciliação da Central de Conciliação, Mediação e Arbitragem da Capital, a ação teve como objetivo agilizar o andamento dos processos relacionados ao seguro DPVAT, com foco nas perícias médicas. Segundo a coordenadora do mutirão, juíza Karina Aragão, o maior entrave no trâmite dessas ações é a conclusão dos laudos médicos.
 
"As perícias realizadas no evento fornecem as informações necessárias para efetuar acordos entre as partes ou embasam a decisão do juiz sobre o caso. Com isso conseguimos agilidade processual e desafogamos o Judiciário", observou a magistrada. Os valores pagos pela seguradora tomam como base a extensão do dano sofrido pelo acidentado e o valor pré-fixado em tabela do seguro.
 
A operadora de telemarketing e atendente Maria Elka, 28 anos, foi submetida a duas perícias durante o Mutirão. Em 2014, ela sofreu um acidente no ônibus da empresa onde trabalhava, que causou um trauma na coluna; no mesmo ano, também sofreu um acidente de moto, em que fraturou o pé.  "Consegui resolver dois problemas de uma vez só. O atendimento da equipe foi muito bom", disse. 
 
Seguro – No País, todos os pedestres, motoristas e passageiros têm direito à indenização do seguro DPVAT nos casos de morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médico-hospitalares. O próprio acidentado ou herdeiro pode dar entrada na indenização e reembolso, não sendo necessário o auxílio de intermediários.
.............................................................................................
Texto: Ivone Veloso  |   Ascom TJPE 
Foto: Assis Lima  |  Ascom TJPE