Últimas Notícias em destaque

Voltar

Novos juízes atuarão na Central de Agilização Processual do Interior

 
Magistrados receberam, em cerimônia no Gabinete da Presidência do TJPE, os equipamentos que utilizarão para atuar nos seis polos da Central, que funcionará a partir de junho de 2016
 
 
Os 31 novos juízes do Poder Judiciário do Estado começarão a atuar na Central de Agilização Processual do Interior (CAPi) a partir de junho de 2016. Ao longo de seis meses, irão julgar feitos alcançados pelas Metas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), conferindo mais celeridade à prestação jurisdicional. Os equipamentos necessários ao desenvolvimento das atividades nas comarcas foram entregues na última terça-feira (24/5) pelo presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), desembargador Leopoldo Raposo.
 
Após a conclusão do Curso de Formação Inicial na Escola Judicial do TJPE (Esmape), os novos magistrados atuarão em seis polos da CAPi: Araripina, Salgueiro, Serra Talhada, Garanhuns, Caruaru e Nazaré da Mata, que abrangerão também unidades de comarcas circunvizinhas. A Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação (Setic) do TJPE disponibilizou notebooks e modems 3G para a execução do trabalho nas comarcas.
 
Conforme o juiz que irá coordenar os trabalhos, Gleydson Lima, inicialmente o projeto abrangerá 13 unidades judiciais. "O alvo são os processos prioritários para o Poder Judiciário de Pernambuco, relacionados às Metas do CNJ para 2016. Isso vai gerar aumento no volume de julgamentos, resultando na melhoria da prestação jurisdicional", afirmou.
 
 
 
Novos juízes substitutos contribuirão para julgar processos prioritários, relativos às Metas do CNJ
 
 
Durante o encontro com os novos juízes substitutos no Palácio da Justiça, o presidente do TJPE chamou a atenção para a responsabilidade da qual estarão imbuídos no exercício da magistratura. "Nossa preocupação é oferecer à população uma Justiça célere, efetiva. Os jurisdicionados estão alimentando expectativas que, não tenho dúvidas, serão atendidas pelo trabalho que os novos juízes desenvolverão", ressaltou.
 
Por sua vez, o diretor da Esmape, desembargador Eurico de Barros, lembrou que os juízes substitutos precisam vivenciar o dia a dia das comarcas onde irão atuar. "O desafio é conhecer a conjuntura dessas comarcas, pois o juiz não pode ficar encastelado. A magistratura também significa abnegação", alertou.
 
Inicialmente, serão atendidas pela CAPi a 1ª e a 2ª Varas de Araripina; a 1ª e a 2ª Varas de Salgueiro; a Vara Única de Custódia, a 1ª Vara de São José do Egito e a Vara Criminal de Serra Talhada, no polo desta última comarca; as Varas Únicas de Lajedo e de São Bento do Una, abrangidas pelo polo de Garanhuns; as Varas Únicas de Toritama e Brejo da Madre de Deus, além da 1ª Vara Cível de Gravatá, sob responsabilidade dos juízes do polo Caruaru; e a Vara Única de Aliança, vinculada ao polo da Central em Nazaré da Mata. 
 
 
 
................................................................................................................
 
Texto: Cláudia Vasconcelos | Ascom TJPE
 
Fotos: Anderson Freitas | Agência Rodrigo Moreira