Notícias

Voltar

Participantes do I Encontro Jurídico da FENAPRF visitam Memorial da Justiça

 
Grupo conheceu prédio histórico em que o Memorial funciona e teve acesso ao acervo histórico
 
 
Participantes do I Encontro Jurídico da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FENAPRF), realizado no Recife na semana passada, fizeram uma visita mediada ao Memorial da Justiça do Tribunal na última sexta-feira (18/12). Diretores da área jurídica de sindicatos da categoria vindos de todas as regiões do país conheceram o prédio histórico em que o Memorial funciona, o trabalho realizado com a documentação histórica e a exposição de longa duração do museu. 
 
O grupo foi recepcionado em frente ao prédio do Memorial, que abrigava a antiga estação ferroviária do Brum, na avenida Alfredo Lisboa. Ali, integrantes da equipe de mediadores do centro de memória apresentaram um histórico do prédio e destacaram aspectos de sua arquitetura. Os visitantes puderam observar que, na transformação da antiga estação em equipamento cultural, a fachada original foi em grande parte preservada, enquanto que o interior passou por uma requalificação que permitiu a adequação do espaço a suas novas funções.
 
Na segunda etapa da visita, o grupo subiu ao mezanino, onde Mônica Pádua, chefe do Memorial, explicou o funcionamento do centro de memória. Depois, passou a palavra para Ivan Oliveira, responsável pelo processamento técnico e conservação documental. Em sua apresentação, Ivan destacou algumas ações judiciais históricas do acervo que são consideradas curiosas, buscando mostrar como documentos produzidos por advogados podem ser utilizados para contar a História. 
 
A última atividade foi no museu, onde os visitantes conheceram a exposição "Uma Questão de Justiça", que trata de justiça, liberdade e cidadania, tendo como pano de fundo a escravidão, a capoeira e o cangaço, tudo a partir de processos judiciais do acervo do Memorial, aspecto que foi sublinhado pelos mediadores. "Devido à formação dos visitantes, pudemos discutir de forma mais aprofundada o fato do conteúdo da exposição vir da pesquisa feita nos processos judiciais", explicou Gabriela Severien, responsável pela parte educativa do Memorial. 
 
Segundo Mônica Pádua, o circuito foi preparado levando em conta o perfil do grupo, constituído por pessoas com formação na área jurídica. "A equipe experimentou uma troca bastante interessante com os visitantes, que se mostraram muito participativos durante toda a mediação", concluiu.
 
...................................................................................................................
 
Texto: Anna Santoro | Memorial da Justiça de Pernambuco