Notícias

Voltar

Projeto Adote um Pequeno Torcedor é exemplo para outras cidades

Desenho de um garoto com a camisa do Sport e a faixa com o dizer "Adotado"

Ação é resultado de parceria entre TJPE, MPPE e Sport Recife
 
O Projeto "Adote um Pequeno Torcedor", iniciativa fruto da parceria entre o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), através da 2ª Vara de Infância e Juventude da Capital; o Ministério Público do Estado; e o Sport Club do Recife, serviu como exemplo para duas cidades de Minas Gerais. O Grupo de Apoio à adoção de Belo Horizonte (Gaabh); o Grupo de Apoio Doce Adoção (Gada); as promotorias da Infância e Juventude dos municípios de Santa Luzia e Belo Horizonte; e o Cruzeiro Esporte Clube deram início ao projeto “Adote um Campeão” baseado na iniciativa desenvolvida pelo TJPE, que consiste em encontrar famílias interessadas em adotar crianças maiores de sete anos que vivem em abrigos do Recife.
 
Até o momento, 21 crianças e adolescentes foram adotados através do projeto “Adote um Pequeno Torcedor” e mais duas estão em estágio de convivência. O programa foi lançado em agosto de 2015 em uma partida na Arena de Pernambuco entre Sport e Flamengo. Desde então, as crianças e adolescentes passaram a ser adotadas por famílias de toda parte do país. Apesar da parceria com outras instituições, o projeto é executado pela 2ª Vara de infância e Juventude da Capital. O titular da unidade judiciária juiz Élio Braz, comenta o êxito do programa. “Todos que compõem a 2ª Vara da Infância e Juventude do Recife e o Ministério Público de Pernambuco estão muito felizes em constatar o sucesso do projeto. A sociedade tem que saber quem são essas crianças. Elas precisam ter vez e voz”, afirma o magistrado.
 
Há um ano e meio, a presidente do Grupo de Apoio à Adoção de Belo Horizonte (Gaabh), Vanice Veronesi, conheceu o projeto “Adote um Pequeno Torcedor”, se interessou e entrou em contato com o juiz Élio Braz para saber mais sobre a iniciativa. A partir daí, ela apresentou o programa para juízes e promotores das cidades de Belo horizonte e Santa Luzia e procurou parceiros para colocar o programa em prática. Em 9 de julho, o projeto foi lançado num jogo entre Cruzeiro e Palmeiras no estádio Mineirão em Belo Horizonte. “Tomei conhecimento do ‘Adote um Pequeno Torcedor’ através das redes sociais e vi que era possível fazer aqui também. Toda criança e adolescente tem direito à convivência social e comunitária, e manifestar o amor pelo clube é uma coisa bonita de se ver”, diz Vanice, uma das incentivadoras do “Adote um Campeão”.
 
Início do projeto – Em 2015, surgiu a ideia de lançar a campanha “Adote um Pequeno Torcedor”. Para aproveitar a grande popularidade do Sport Club do Recife, o então presidente executivo do clube, João Humberto Martorelli, procurou o juiz Élio Braz, titular da 2ª Vara da Infância e Juventude, para firmar parceria no projeto. “A parceria com times futebolísticos traz muita força e visibilidade para o tema adoção, devido ao grande espaço que os clubes têm nas mídias sociais”, comenta o magistrado Élio Braz, idealizador do projeto.
.................................................................................................
Texto: Rayama Alves | Ascom TJPE
Revisão: Ivone Veloso | Ascom TJPE
Fotos: Agência Rodrigo Moreira