Notícias TJPE Notícias TJPE

Voltar

Retratos de Mãe: TJPE incentiva projeto fotográfico sobre a maternidade de mulheres apenadas

Um olhar de empatia e respeito sobre a maternidade de mulheres que se encontram privadas de liberdade. Com esse objetivo, a Coordenadoria da Mulher do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), em conjunto com a Secretaria Estadual de Ressocialização (Seres) do Governo estadual, promoveu a realização do Projeto Retratos de Mãe, de autoria da fotógrafa Andrea Leal. A iniciativa faz parte das ações do Instituto Luz Natural, associação civil de caráter filantrópico que busca fazer da fotografia um instrumento de valorização e de mudança social.

O projeto, iniciado em 2019, consiste em um ensaio fotográfico com detentas grávidas ou acompanhadas de filhos recém-nascidos ou bebês na Colônia Penal Feminina do Recife. Para compartilhar essas histórias de maternidade e suavizar o estigma sobre as mulheres encarceradas, uma exposição está aberta ao público no formato virtual, em respeito ao isolamento social motivado pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19).

Para conferir a exposição, basta acessar o site Retratos de Mãe. No espaço virtual, através do olhar artístico de Andrea Leal, os visitantes terão contato com as fotografias e histórias de maternidade de nove mulheres reeducandas que vivem em regime prisional. São elas: Amanda Correia de Sá, Carla Karolyne, Cristiana Maria da Cruz, Edvânia da Conceição, Fernanda Maria, Gisele Chagas, Lathoa Elaliane, Maria da Conceição Pereira e Tamires de Farias.

A fotógrafa Andrea Leal conta que o projeto ganhou força quando, no final de 2019, foi procurada pela coordenadora da Mulher do TJPE, desembargadora Daisy Andrade. No contato, a magistrada mostrou o interesse de proporcionar um ensaio fotográfico às mulheres encarceradas que estavam grávidas ou que tinham ganhado bebê recentemente, com o intuito de acolher e cuidar dessas mulheres. “Não pensei duas vezes e prontamente aceitei, pois do pouco que conversei com a desembargadora, eu entendi que a proposta do “Retratos de Mãe” e a proposta que o TJPE apresentava estavam muito alinhadas em propósitos”, diz.

Para a desembargadora Daisy Andrade, a rede de apoio para o projeto significou mais um passo para a reinserção social dessas mulheres. “Essa rede de apoio conseguiu reforçar que, a despeito de qualquer adversidade, a maternidade precisa ser vista como um grande divisor de águas na vida das mulheres, reforçando a importância do dom da vida e levando o Judiciário e o Sistema de Justiça, como um todo, a cumprir o seu papel na proteção, restauração e recuperação de todas as mulheres", afirma a magistrada.

A Coordenadoria da Mulher do TJPE - Trata-se de um órgão colegiado não jurisdicional permanente de assessoria ao TJPE, que tem como objetivo traçar as estratégias e ações da política judiciária de enfrentamento à violência contra as mulheres nos termos da Portaria N° 15/2017, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Dentre as ações da Coordenadoria, destaca-se, por exemplo, o programa Justiça pela paz em casa, e, mais recentemente, o projeto Carta de Mulheres, ferramenta lançada em abril deste ano, com o intuito de apoiar e orientar as vítimas de violência doméstica durante os dias de isolamento social devido à Covid-19, período em que muitas dessas mulheres estão em contato mais intensificado com os seus agressores.

Além das atribuições já estabelecidas, a Coordenadoria da Mulher de Pernambuco, em observância à Resolução N° 252/2018 do CNJ, que estabelece princípios e diretrizes para o acompanhamento das mulheres mães e gestantes, também adotou como estratégia de proteção às mulheres privadas de liberdade ações e projetos que promovem a cidadania e a inclusão das referidas mulheres, além de contribuir com o processo de ressocialização. Para saber mais sobre a atuação da Coordenadoria da Mulher de Pernambuco, acesse AQUI

O processo criativo do Retratos de Mãe

Depois de também obter o apoio da Seres, Andrea Leal deu início a visitas na Colônia Penal Feminina para conversar sobre o projeto e ver as possibilidades de realização das sessões fotográficas. Em fevereiro deste ano, foram feitos os ensaios para a captação das imagens. Foram necessários dois dias de trabalho, com a montagem de um pequeno estúdio fotográfico e um espaço de beleza para que as mulheres selecionadas se preparassem para as fotos. Logo depois, houve a edição e o tratamento dessas imagens, a impressão das fotografias e confecção dos álbuns, além de uma preparação especial das imagens que foram selecionadas para ilustrar a exposição. Nessa etapa final, Andrea Leal contou com a parceria profissional do fotográfo Henrique Ribas.

Sobre o processo criativo, Andrea também compartilha que os desafios na verdade foram um presente para a criatividade. “A produção foi simples, o que já é uma é uma característica do meu trabalho. Com a proposta de enfatizar a beleza da mulher, nós buscamos usar poucos elementos de cena e uma maquiagem mais natural. Poder oferecer uma experiência única e capturar a força e beleza dessas mulheres dentro do contexto em que estão inseridas foi um desafio muito recompensador. A experiência me mostrou que somos capazes de transformar a vida de alguém com pequenas e simples atitudes, às vezes apenas com uma escuta atenta ou um olhar de apoio, nós podemos fazer toda a diferença”, conclui.

Para o Retratos de Mães, Andrea Leal contou ainda com a atuação da assistente de produção Nanda Santana e da Galeria de Maquiagem, de Jane Silva. Ambas participaram do projeto com a responsabilidade de realçar a beleza interna de cada mulher participante do ensaio fotográfico.

Confira a exposição Retratos de Mãe

Matéria vinculada: TJPE lança canal de orientação para mulheres vítimas de violência doméstica

..................................................
Texto: Micarla Xavier | Ascom TJPE
Imagem: Divulgação