Notícias Notícias

Voltar

TJPE investe em desktop e notebook para integrantes visando transformação digital

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) está investindo na transformação digital do Judiciário estadual. Durante a pandemia causada pelo coronavírus, a Justiça precisou se adaptar às demandas impostas para continuar atendendo a população de forma efetiva. Integrantes do Judiciário passaram a atuar das suas casas, utilizando seus computadores para que a Justiça não parasse. Com o objetivo de investir e garantir a continuidade desta nova forma de atendimento e de atuação, o TJPE editou um projeto de lei para a aquisição de desktop e notebooks a magistradas, magistrados, servidoras e servidores efetivos da instituição.

O presidente do Tribunal, desembargador Fernando Cerqueira, destaca a relevância de investir no atendimento digital e na virtualização dos processos, intensificada a partir da pandemia da Covid-19. “Esse projeto surge da necessidade de dar mais condições a magistrados e servidores de trabalhar de forma efetiva no atendimento ao jurisdicionado. São profissionais que demonstraram muito empenho durante todo esse período e precisam estar cada vez mais atualizados dentro desse novo contexto de atendimento telepresencial em que vivemos. O esforço de todos fez com que o TJPE alcançasse resultados animadores no Relatório Justiça em Números, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Alcançamos o primeiro lugar entre os Tribunais de médio porte e o segundo entre os 27 Tribunais estaduais em relação ao Índice de Atendimento à Demanda (IAD), e vamos continuar avançando”, afirmou.

O projeto prevê o abono, de natureza indenizatória, no valor de R$ 5.000,00, a ser implantado no mês de abril de 2022, conforme regras do documento. Fará jus ao benefício magistradas, magistrados, servidoras e servidores da instituição em efetivo exercício até 31 de março de 2022. As pessoas que sofreram penas disciplinares nos últimos dois anos, com afastamento; cedida a outros Órgãos ou Poderes; em gozo de licença sem remuneração; aposentadas; efetivas de outros órgãos e Poderes à disposição do TJPE e que ocupam, exclusivamente, cargos de comissão não serão contempladas.

Para o diretor-geral em exercício, Marcel Lima, dotar magistrados e servidores de melhores recursos tecnológicos para o desenvolvimento das atividades do trabalho trará uma otimização no desempenho, e resultados positivos para prestação jurisdicional.

Segundo a gestora da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação (Setic), Juliana Neiva, a pandemia foi determinante para o processo de aceleração da transformação digital no Judiciário, uma vez que exigiu adequação a novas modalidades de trabalho e a disponibilização de novos canais de comunicação com a sociedade. “Para que esse processo seja bem-sucedido e benefícios como celeridade e eficiência sejam alcançados, é fundamental que servidores e magistrados estejam tecnologicamente atualizados e disponham de recursos adequados para acompanhar as exigências desta nova realidade”, explica.
.................................................................
Texto: Redação | Ascom TJPE
Imagem: iStock