Notícias Notícias

Voltar

TJPE promove cerimônia de homenagem ao desembargador Eduardo Paurá em virtude de sua aposentadoria

O homenageado Eduardo Paurá exerceu, na solenidade, a coordenação da sessão e Presidência do Tribunal 

Em sessão extraordinária realizada na manhã desta segunda-feira (22/2), o Pleno do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) promoveu uma homenagem ao desembargador Eduardo Paurá, atual 1º vice-presidente do Judiciário estadual pernambucano. Após quase 40 anos de magistratura, o desembargador irá se aposentar por implemento de idade, na próxima quinta-feira (25/2), quando completa 75 anos de idade.

Inicialmente presidida pelo presidente do TJPE, desembargador Fernando Cerqueira, que passou a coordenação da sessão e Presidência do Tribunal ao homenageado Eduardo Paurá, a solenidade foi realizada no modelo híbrido virtual/presencial por meio da plataforma Cisco-Webex, na Sala de Sessões Desembargador Antônio de Brito, no 1º andar, sendo transmitida também pelo canal do YouTube da Assessoria de Comunicação Social do TJPE.

A cerimônia foi prestigiada pelos colegas desembargadores que compõem o Pleno do Tribunal; por todos os servidores do gabinete do desembargador Eduardo Paurá; pelos familiares do homenageado; por magistrados e servidores que trabalharam com o desembargador ao longo dos anos; pelo pároco na Paróquia São Pedro, em Tamandaré, padre Arlindo Laurindo de Matos Júnior; e pelo prefeito de Tamandaré, Isaias Honorato.

A abertura da solenidade aconteceu com a apresentação do Quinteto de Cordas da Orquestra Criança Cidadã que executou as músicas My Way composta por Claude François e famosa na voz de Frank Sinatra; Por una Cabeza, de autoria de Carlos Gardel; e Asa Branca, composta por Humberto Teixeira e Luiz Gonzaga.

Na sequência, o padre Arlindo Laurindo, amigo do desembargador Eduardo Paurá, proferiu um discurso lembrando o momento em que conheceu o magistrado e como se deu o início da amizade entre os dois. “Conheci o desembargador ao ser chamado para realizar uma benção do Fórum do município quando foi inaugurado há 12 anos. Desde então, ele começou a ajudar os nossos trabalhos sociais, principalmente a Creche Projeto Tamandaré. Além de tudo me levou para o seu convívio familiar e se transformou num grande confidente, orientador e amigo. Tenho grande orgulho de ter conhecido além de um magistrado reconhecido pela competência, uma pessoa extremamente humana e generosa”, afirmou.

O padre foi agraciado, na ocasião, com a Medalha do Mérito Judiciário Desembargador Joaquim Nunes Machado. A condecoração foi criada pelo TJPE, através da Resolução nº 17, de 13 de maio de 1985, sendo a mais alta condecoração instituída pela justiça pernambucana.  A comenda é entregue a personalidades que se destacam pelos relevantes serviços prestados à sociedade e à Justiça ou por serviços excepcionais prestados no campo do judiciário. O pároco é doutor em psicanálise aplicada e licenciado em Filosofia e membro-diretor da Creche Projeto Tamandaré. Nos seus trabalhos sociais destaca-se ainda a Associação Padre Arlindo de Matos Júnior, que ajuda a comunidade carente do município.

O presidente do TJPE, desembargador Fernando Cerqueira, ressaltou a carreira do desembargador Eduardo Paurá, ao longo da história do Tribunal, enaltecendo-o também como um amigo. “A Corte hoje presta uma homenagem a um dos mais notáveis membros da sua trajetória. Um magistrado de elevado valor moral e de exemplar dedicação ao trabalho. Da companhia diária afasta-se Vossa Excelência porém nos deixa o testemunho do convívio amigo, cordial, alegre, solidário com todos nesses 40 anos que aqui atuou. Vossa Excelência se aposenta, mas a amizade não, e a amizade com todos. A relação fraterna de amizade construída seguirá inabalável. Os laços de afetividade consolidados com seus pares não se romperão com o seu afastamento dos trabalhos diários do Judiciário. Quero agradecer por todos os momentos que Vossa Excelência nos proporcionou, trabalhando conosco, fazendo Justiça, cooperando com a alta administração do estado de Pernambuco, através do Poder Judiciário, e trazendo para todos a sua lição de vida, os seus ensinamentos como profissional, a sua experiência, os seus fundamentos jurídicos que todos que fazem esse Tribunal conhecem e respeitam”, pontuou o chefe do Judiciário estadual.

O desembargador Eduardo Paurá agradeceu a homenagem à Corte e a presença dos amigos Bartolomeu Bueno, Alexandre Assunção e Fernando Cerqueira, dentre outros desembargadores, além do padre Arlindo, do prefeito de Tamandaré, Isaias Honorato e dos familiares. Ele também destacou a nova etapa da sua vida e descreveu um pouco do sentimento em relação ao momento que está vivendo.

“Ao fazer uma retrospectiva da minha história tenho muitos mais bons momentos para lembrar da minha trajetória aqui no Judiciário. Gosto muito de uma expressão do poeta Carlos Drummond que diz que ‘o último dia do ano não é o último dia do tempo, outros dias virão’. Por isso não vejo a aposentadoria como um castigo, mas como um prêmio. Primeiro como um prêmio de Deus todo poderoso que nos dá vida suficiente para chegarmos nesse momento e depois como um prêmio do homem, que criou esse instituto para amparar aqueles que dedicaram anos a fio ao trabalho. Não pretendo ficar na ociosidade, de sorte que esta cerimônia não é um adeus, mas sim um até breve e um até logo porque pretendo continuar a contribuir, ainda que modestamente, na luta pela Justiça. Penso ter cumprido meu cargo com máximo de zelo, com respeito ao jurisdicionado. Não sinto tristeza nesse momento, mas sei que sentirei saudade do trabalho, do julgamento de milhares de processos, do convívio com os colegas, mas levo um pouco deles comigo, relembrando aqui o escritor Antoine de Saint-Exupéry: ‘Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós’”, concluiu.

Momento da entrega da homenagem dos servidores que atuam o desembargador Eduardo Paurá 

O desembargador recebeu ainda uma homenagem da equipe do seu gabinete que o presenteou com uma placa descrevendo a história da Rua do Imperador Dom Pedro II, em que atuou nos prédios da localidade por vários anos. Atualmente, o gabinete em que trabalha, assim como a sala da 1º Vice-Presidência estão localizadas no Palácio da Justiça. O magistrado trabalhou também no Fórum Thomaz de Aquino quando exerceu o cargo de corregedor-geral de Justiça. 

História - Nascido no município de Gravatá, Eduardo Augusto Paurá Peres, tornou-se bacharel em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco no ano de 1969. Ingressou na magistratura pernambucana em 1982, atuando na Comarca de Parnamirim.

As cidades de Terra Nova, Macaparana, São Vicente Ferrer e Timbaúba também tiveram Eduardo Paurá como magistrado. Em 1989, foi promovido para Juiz da Capital e nomeado Juiz Titular da 15ª Vara Cível três anos depois.

Em sua carreira já ocupou os cargos de diretor do Foro do Recife. Ocupou também os cargos de Juiz membro do Tribunal Regional Eleitoral de 1995 a 1997 e coordenador de propaganda eleitoral em 1992 e 1998.

Além destes cargos, também trabalhou como assessor especial da presidência na gestão do desembargador Luís Belém de Alencar, membro do Colégio Recursal no biênio de 1994 a 1995 e por diversas vezes substituiu Desembargadores no Tribunal de Justiça de Pernambuco.

Ainda na década de 1990, foi vice-presidente da Associação dos Magistrados de Pernambuco (Amepe) por duas vezes, onde também exerceu a Diretoria de Finanças e Patrimônio. Em 2002, Eduardo Paurá foi eleito desembargador, por merecimento. Ocupou a vice-diretoria da Escola Superior da Magistratura de Pernambuco (2006/2007), tendo sido escolhido pelo Tribunal Pleno da Justiça estadual em dezembro de 2005. Ocupou os cargos de ouvidor geral de Justiça, no biênio 2004/2006 e de corregedor geral de Justiça, no biênio 2014/2016. 

Atualmente é o 1º vice-presidente do TJPE, presidente da 6ª Câmara Cível do Poder Judiciário, membro nato da Corte Especial do Tribunal de Justiça de Pernambuco desde o dia 11 de junho de 2010, sendo também componente da Seção Cível deste Egrégio Tribunal.

Exerce, ainda, a função de Diretor-Secretário da Associação Nacional dos Desembargadores – ANDES-, e é presidente, para Pernambuco, do Instituto dos Magistrados do Brasil – IMB. 

Ele é casado com Maria Lílian Maia Peres, pai de Eduardo, Maria Raquel e Ana Paula e avô de Maria Beatriz (Bia), Maria Helena, Ricardinho, Maria Eduarda e João. 

Confira na íntegra o discurso do homenageado. 

...................................................................................
Texto: Ivone Veloso | Ascom TJPE
Foto: Assis Lima | Ascom TJPE