Publicador de conteúdo

Retornar para página inteira
Voltar

Vara da Infância e Juventude de Palmares lança programa de apadrinhamento

O lançamento acontece nesta quinta-feira (22/12) no Fórum dos Palmares

 

A Vara da Infância e Juventude da 6ª Circunscrição lança oficialmente, nesta quinta-feira (22/12), o Programa de Apadrinhamento “Laços de Afeto”, no município de Palmares. O evento acontece às 10h, no Fórum dos Palmares Professor Anibal Bruno, localizado na Avenida José Américo Miranda, s/n. A iniciativa busca proporcionar a crianças e adolescentes que permanecem nas instituições de acolhimento sem a alternativa de serem reintegrados em sua família de origem e sem perspectiva de colocação em família substituta uma maior integração com a sociedade, através do apoio afetivo, material ou profissional da sociedade civil.

Segundo o juiz da Vara da Infância e Juventude de Palmares, Ricardo de Sá Leitão Alencar Júnior, o programa proporciona o direito à convivência familiar a crianças e adolescentes acolhidos em abrigos. “Quando a criança fica mais velha sem obter uma família, desenvolve um grande sentimento de rejeição, como se ninguém fosse capaz de querê-la. O apadrinhamento garante afeição, orientação e aconselhamento para a vida adulta das crianças e jovens, reforço de autoestima e suporte financeiro”, afirmou o magistrado.

A ação prevê três modalidades de apadrinhamento: o afetivo, o material e o profissional. O afetivo tem por objetivo criar vínculos além da instituição, através do compromisso de acompanhar o desenvolvimento do afilhado por meio de visitas, passeios nos fins de semana ou comemorações especiais. O material é destinado a custear a qualificação pessoal e profissional dos acolhidos, com escolas, cursos profissionalizantes e práticas de esportes. Já o profissional é aquele que vai atender às necessidades institucionais de crianças e adolescentes, por meio da promoção de cursos ou serviços pelo padrinho de acordo com a sua especialidade de trabalho. Poderá ser escolhida mais de uma modalidade de apadrinhamento.

“Antes do lançamento oficial, o programa já conseguiu o apadrinhamento afetivo de quatro crianças e adolescentes. Eles já vão passar as festividades de fim de ano com os padrinhos”, revelou o juiz Ricardo de Sá Leitão. De acordo com o magistrado, a iniciativa já vem despertando interesse da população local. “Estamos entrando em contato com entidades da sociedade civil e muitas já mostraram disponibilidade em participar da ação”, disse.

A iniciativa começou a ser divulgada também nos dois abrigos da Comarca que serão beneficiados – Granja Paraíso e Lar Heleninha. O nome “Laços de Afeto” para o programa, por exemplo, foi escolhido por meio de uma votação realizada com as crianças e adolescentes das casas de acolhimento. “É importante que eles saibam do trabalho que está sendo desenvolvido para a conquista de uma perspectiva de vida melhor”, afirmou o juiz. 

Comunicação – Para obter mais informações a respeito do projeto "Laços de Afeto" ou como se tornar um padrinho ou uma madrinha, os interessados podem enviar um e-mail para programalacosdeafeto@tjpe.jus.br ou entrar em contato com a equipe da Vara da Infãncia e Juventude de Palmares por meio dos telefones (81) 3662-0157 ou 3662-0166

Estado – Nas comarcas pernambucanas que não possuem programas específicos de apadrinhamento, crianças e adolescentes também podem receber apoio afetivo, provedor e profissional através do Projeto Pernambuco que Acolhe. O programa, iniciado em 2016, é desenvolvido pela Comissão Estadual Judiciária de Adoção (Ceja-PE) através da Coordenadoria da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça de Pernambuco (CIJ-TJPE).

......................................................................................
Texto: Ivone Veloso  |  Ascom TJPE