Últimas Notícias em destaque

Voltar

Voltado à acessibilidade, projeto Do Concreto ao Sensorial começa a receber visitantes

Ação é resultado de parceria entre Memorial da Justiça do TJPE, Tangram Cultural e Funcultura
 
Maquetes táteis – com descrições em braile – possibilitam às pessoas com deficiência a compreensão da arquitetura do prédio do Memorial do TJPE
Maquetes táteis – com descrições em braile – possibilitam às pessoas com deficiência a compreensão da arquitetura do prédio do Memorial do TJPE
 
Quem visita o Memorial da Justiça de Pernambuco, no Recife, agora conta com mais uma importante ferramenta de acessibilidade. Em 6 de setembro, ocorreu a abertura do projeto "Do Concreto ao Sensorial", voltado a facilitar o acesso de pessoas cegas, com baixa visão ou com Transtorno do Espectro Autista (TEA) ao patrimônio arquitetônico do museu. O material fica disponível ao público de segunda a sexta-feira, das 13h às 18h, com possibilidade de agendamento em outros horários.
 
Realizado pelo Memorial do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) e pela Tangram Cultural com patrocínio do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura PE), o "Do Concreto ao Sensorial" disponibiliza três maquetes táteis – com descrições em braile – do edifício onde está instalado o museu, na antiga Estação Ferroviária do Brum. Ao serem tocadas, as peças possibilitam às pessoas com deficiência a compreensão da arquitetura do prédio.
 
Presidente do TJPE, desembargador Leopoldo Raposo conheceu o funcionamento das maquetes
Presidente do TJPE, desembargador Leopoldo Raposo conheceu o funcionamento das maquetes
 
Durante a cerimônia de inauguração, um vídeo com audiodescrição do projeto foi apresentado ao público. Na sequência, a chefe do Memorial da Justiça, Mônica Pádua, e a diretora da Tangram, Germana Pereira, agradeceram o empenho das equipes envolvidas com o "Do Concreto ao Sensorial" e o apoio dos parceiros. Em seguida, o presidente do TJPE, desembargador Leopoldo Raposo, destacou o trabalho desenvolvido no local como importantíssimo para a preservação histórica do Judiciário pernambucano e comentou o novo projeto da instituição.
 
"Assim que cheguei aqui, fui envolvido pela emoção de estar presenciando o ‘Do Concreto ao Sensorial'. Este projeto tem elevada importância porque permite a compreensão de pessoas com deficiência a respeito deste grande monumento onde está instalado o Memorial. As minhas palavras são para parabenizar os grandes protagonistas do projeto, que representa a dedicação e também a proatividade de todos vocês. Demonstra que, neste país, ainda existem pessoas sensíveis, porque é preciso sensibilidade para tornar este projeto real, concretizar algo de tamanha grandeza. Eu me sinto estimulado a apoiar fortemente as ações do Memorial. Nossos sentimentos são de agradecimento e compromisso", declarou o desembargador Leopoldo Raposo.
 
Germana Pereira, Mônica Pádua, Leopoldo Raposo e Gabriela Severien
Germana Pereira, Mônica Pádua, Leopoldo Raposo e Gabriela Severien
 
Convidada a participar de "Do Concreto ao Sensorial" na fase de produção, a servidora Judite Muniz – deficiente visual – lembrou a experiência como consultora e falou sobre a representatividade do projeto para o fortalecimento de ações voltadas à acessibilidade. "Eu fui convidada a dar dicas ao projeto, com orientações a respeito da maquete, dos textos em braile. Foi um trabalho conjunto. A equipe levava as maquetes até meu local de trabalho, e eu fazia os comentários. Estou muito feliz com o resultado. Estamos, assim, possibilitando um direito à população, direito de acesso à informação e à cultura", afirmou a servidora.
 
Público prestigiou abertura da exposição e conheceu os detalhes do projeto
Público prestigiou abertura da exposição e conheceu os detalhes do projeto
 
Importância histórica – O prédio que abriga o Memorial da Justiça de Pernambuco foi construído entre 1875 e 1880, sendo conhecido como Estação do Brum. Pela Estação passavam as locomotivas do percurso Recife – Limoeiro – Timbaúba.  Por meio de uma Permissão de Uso concedida à Corregedoria da Justiça em 1997, para a instalação do Memorial do Judiciário, deu-se a restauração do prédio com base em projeto dos arquitetos Hélio Moreira e José Luiz da Mota Menezes.
 
Serviço – Do Concreto ao Sensorial 
 
Local: Memorial da Justiça de Pernambuco
Endereço: Avenida Alfredo Lisboa, s/n, Bairro do Brum, no Recife (PE)
Visitação: De segunda a sexta-feira, das 13h às 18h
Visitas em outros horários ou com mediação devem ser agendadas pelo telefone (81) 3181-9440 ou pelo e-mail memorial.educativo@tjpe.jus.br
...........................................................................................
Texto: Francisco Shimada | Ascom TJPE
Fotos: Alesson Freitas | Agência Rodrigo Moreira