Últimas Notícias em destaque

Voltar

Com representes da Presidência, da Corregedoria, da Esmape e da Amepe, magistrados do TJPE discutem práticas de gestão

Magistrados assistem à palestra com o presidente Leopoldo Raposo
Projeto Encontros Regionais reuniu representantes de mais de 20 comarcas em Gravatá

Gravatá, no Agreste pernambucano, recebeu a quinta edição do projeto Encontros Regionais. Realizado nesta quinta-feira (15/6), no Fórum Desembargador Pedro Ribeiro Malta, o evento reuniu magistrados de mais de 20 comarcas; assessores e secretários de setores administrativos do Judiciário estadual; representantes da Presidência, da Corregedoria e da Esmape – Escola Judicial do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE); além de membros Associação dos Magistrados do Estado de Pernambuco (Amepe). Confira as fotos no Flickr do TJ pernambucano.

O projeto Encontros Regionais tem o objetivo de estabelecer diálogo entre a Administração do TJPE e as comarcas de Pernambuco. Até o momento, as reuniões foram realizadas nas cidades de Caruaru, Petrolina, Serra Talhada, Garanhuns e Gravatá, contando com a presença de mais de 100 magistrados. Entre os assuntos abordados nesta edição do evento, práticas administrativas; cursos de formação técnica para magistrados e servidores; alienação de bens e leilão judicial; andamento de processo de réus presos ou conclusos para sentença; férias e vencimentos; e metas do Conselho Nacional de Justiça.

Responsável pela Segunda Vara da Comarca de Surubim, o juiz Joaquim Francisco Barbosa elogiou a iniciativa. “Eu achei excelente porque, pela primeira vez, eu vi no Tribunal – eu entrei na magistratura em 1994 – uma Mesa Diretora com representantes de tantos órgãos. A gente ficou num ambiente que se chama à responsabilidade, mas também aponta soluções, solicita sugestões a respeito do funcionamento das unidades judiciárias e se preocupa em trazer o máximo de magistrados para inserir o contexto de onde ele está trabalhando. Além disso, o mais importante: a gente sai daqui animado por perceber a preocupação do Tribunal não só na prestação do serviço ao jurisdicionado, que a gente sabe que é a finalidade, mas também a preocupação com o bem-estar do magistrado no sentido de alimentar ele com informações suficientes para que ele possa desenvolver as atividades. Eu achei proveitoso”, declarou o juiz.

Em palestra sobre boas práticas nas unidades judiciárias, o desembargador Leopoldo Raposo recordou o tempo de juiz no primeiro grau, abordou rotinas de trabalho voltadas a facilitar a rotina jurídico-administrativa das unidades e destacou o papel de magistrados e servidores na prestação de serviço. “Ou a Justiça assume uma posição proativa, ou o Judiciário cai no ostracismo diante da sociedade. Nós nos conceituamos pelo trabalho que desempenhamos, nós estamos sempre em busca de evolução como uma maneira de ofertar a melhor jurisprudência para quem nos procura”, enfatizou o presidente do TJPE.

A atividade foi prestigiada pelo corregedor-geral da Justiça, desembargador Antônio de Melo e Lima; pelo diretor-geral da Esmape, desembargador Eurico de Barros; pelo desembargador Eudes França; pelo presidente da Amepe, juiz Emanuel Bonfim; pelo assessor da Presidência do TJPE, juiz Alberto Freitas; pelos juízes corregedores Sandra de Arruda Beltrão Prado e José Anchieta Félix da Silva; e pelo diretor do Foro de Gravatá, juiz Severiano de Lemos Antunes Júnior.

Também estiveram presentes para esclarecimentos de dúvidas dos participantes, representantes de diversos setores do TJPE. Foram eles: Presidência, Diretoria Geral, Diretoria de Engenharia e Arquitetura, Diretoria de Infraestrutura, Secretaria Judiciária, Secretaria de Gestão de Pessoas, Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação, Assistência Policial Militar e Civil, Assessoria de Cerimonial e Assessoria de Comunicação Social. A atividade volta a ser realizada no segundo semestre.
.............................................................................................
Texto: Francisco Shimada | Ascom TJPE
Fotos: Assis Lima | Ascom TJPE