Últimas Notícias em destaque

Voltar

Palestra sobre adoção com os psicólogos Luiz Schettini e Suzana Schettini aborda a convivência humana

Suzana e Luiz Schettini falam ao público

Os psicólogos Suzana Schettini e Luiz Schettini durante a palestra sobre adoção, no Fórum Paula Baptista

A adoção como fundamento da convivência humana foi o tema da palestra proferida pelos psicólogos Luiz Schettini e Suzana Schettini, na quarta-feira (16/5), no auditório do edifício Paula Baptista, no Recife.  O evento marcou o início das atividades promovidas pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) que têm por objetivos promover o debate e esclarecer dúvidas a respeito do assunto. As ações acontecem em comemoração ao Dia Nacional da Adoção, celebrado em 25 de maio. Confira as fotos do evento no álbum do Judiciário estadual no Flickr.

A psicóloga Suzana Schettini definiu a adoção como princípio necessário à convivência em todas as relações humanas, destacando a relevância da formação de vínculos adotivos, representados pelo amor, pela compreensão do outro e pelo respeito ao próximo. “O conceito de adoção é muito maior do que a mera vinculação judiciária de um filho. Quando o filho chega a uma família por meio desse processo, ele foi escolhido, desejado e acolhido para ampliar os laços afetivos desse grupo. Adotar significa, então, acolhimento. Precisamos aplicar o conceito da adoção não só com nossos filhos, sejam eles biológicos ou não, mas também em todas as nossas relações em sociedade. Precisamos construir um mundo adotivo, em que o acolher o outro represente o nosso objetivo diário. É necessário substituir a competição e o individualismo tão presentes na rotina do mundo atual pela afetividade, pela colaboração com aqueles que estão do nosso lado”, afirmou.

A necessidade da evolução das relações interpessoais permeadas pelo sentimento adotivo também foi o foco da palestra de Luiz Schettini. “Antes de desenvolver a nossa relação com o próximo, é importante que adotemos a nós mesmos como indivíduos, nos aceitando com nossas características e tentando evoluir a partir da interação em sociedade. Essa aceitação e a consciência de que precisamos nos desenvolver, que não somos perfeitos, contribuem para que enxerguemos as pessoas com mais afetividade. É nesse contexto que entra a adoção de quem convive conosco, tendo mais consciência das nossas fragilidades, e buscando a aceitação das pessoas na sua integralidade. No momento em que temos esse olhar mais afetivo com o que está a nossa volta, somos mais humanos, menos intransigentes, menos reativos e mais amorosos conosco e com todos. A convivência humana realmente é o nosso grande desafio”, observou.

Para o psicólogo, é preciso descontruir a romantização da adoção de filhos ou de qualquer tipo de relação humana. “Todos temos uma história, e aqueles que passam por um processo de adoção carregam uma história de perda, de impotência diante de outros que não puderam criá-los. Então, há situações que têm que ser resolvidas nessa relação, assim como há uma série de desafios que têm que ser vivenciados com nossos filhos biológicos também. O amor para mim é o mesmo como pai de cinco filhos, mas cheguei à conclusão de que o que faz a diferença nessa relação é amar essas pessoas, manifestar o amor que temos por elas, e demonstrar esse afeto de uma forma que possam perceber. E esse princípio podemos tentar aplicar a todos, enquanto sociedade”, pontuou.

Público assiste à palestra

O tema da palestra foi "Adoção: o fundamento da convivência humana"

Após a explanação sobre o tema da adoção por Luiz Schettini, o desembargador Jones Figueirêdo, representando o presidente do TJPE, desembargador Adalberto de Oliveira Melo, agradeceu aos palestrantes e parabenizou os psicólogos sobre a forma como o assunto foi abordado. “As palestras nos fazem refletir sobre nosso comportamento e a necessidade de realimentar os nossos afetos e fortalecer a convivência humana. Como foi falado aqui, a adoção é uma atitude de vida, acolher é a palavra que traduz esse ato e passa pela escolha de uma postura mais fraterna diante de todos”, destacou.

Em seguida, a psicóloga Tereza Figueiredo, que representou no evento o coordenador da Infância e Juventude, desembargador Luiz Carlos Figueiredo, enfatizou a relevância dos palestrantes no cenário nacional em relação ao maior entendimento sobre a adoção. “Conheço Luiz e Suzana Schettini há mais de 20 anos, já ouvi várias das suas palestras, mas sempre aprendo algo novo a respeito das relações humanas de forma geral. Saio daqui mais enriquecida como profissional e ser humano”, afirmou.

O assessor de Comunicação do TJPE, Francisco Shimada, também ressaltou a importância da iniciativa com a presença dos profissionais no Tribunal num mês em que todo o país está voltado para a discussão sobre o processo adotivo. “A informação é a melhor forma de combatermos preconceitos, desmistificar ideias pré-concebidas e buscarmos melhores formas de convivermos em grupo. Agradeço a todos que reservaram um tempo do seu dia para participar dessa iniciativa”, destacou. A palestra foi promovida pela Assessoria de Comunicação Social (Ascom), pela Escola Judicial de Pernambuco (Esmape), pela Coordenadoria da Infância e Juventude (CIJ) e pela Presidência do TJPE, com o apoio da Assessoria de Cerimonial.

Referências

Luiz Schettini – Graduado em Teologia, Psicologia e Filosofia, desenvolve sua atividade profissional nos últimos 45 anos, em Psicologia Clínica, especialmente na área de psicoterapia de crianças e adolescentes. Nesse período, paralelamente, tem se dedicado ao ensino da psicologia em várias universidades e faculdades do estado de Pernambuco, atuando nas áreas de Psicologia Geral, Psicologia da Aprendizagem e Psicologia do Desenvolvimento. Em Psicologia Clínica, dedica-se, também, ao acompanhamento psicoterápico de pais e filhos adotivos, desenvolvendo estudos e pesquisas sobre a psicologia da criança adotada, que têm resultado em vários livros já editados. O seu trabalho também se desenvolve através de palestras, conferências e cursos ministrados no país e no exterior.

Suzana Schettini – Mestre em Psicologia Clínica na Área da Família e Interações Sociais; psicóloga Clínica, terapeuta de crianças adolescentes e adultos; professora em cursos de graduação e pós graduação. Suzana é também ex-presidente da Associação Nacional de Grupos de Apoio à Adoção (Angaad) e ex-presidente da Associação Civil Pró-Adoção Convivência Familiar do Grupo de Estudos e Apoio à Adoção de Recife (Gead) Recife. Atualmente é diretora de Relações Públicas da Angaad e diretora de Relações Institucionais da Associação Civil Pró-Adoção Convivência Familiar Gead Recife.

Notícias relacionadas

Vara da Infância e Juventude de Jaboatão promove palestra sobre adoção

Famílias participam da Caminhada Pernambucana de Adoção

Pesquisa do CNJ aponta Pernambuco como um dos cinco estados que mais promovem adoções no país
.......................................................................................
Texto: Ivone Veloso | Ascom TJPE
Fotos: Antônio Filho | Ascom TJPE