Últimas Notícias em destaque

Voltar

Tribunal inicia edição 2018 do programa Justiça Libertadora

Estudantes em sala de aula com o desembargador Adalberto de Oliveira Melo

O desembargador Adalberto de Oliveira Melo visitou as instalações do programa junto a estudantes 

O presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), desembargador Adalberto de Oliveira Melo, participou do início das aulas do Justiça Libertadora. O programa disponibiliza aulas de inglês e informática para jovens moradores da comunidade do Coque desde 2017 em parceria com o Serviço Social da Indústria (Sesi-PE) e a Associação Beneficente Criança Cidadã (ABCC). Nesta edição, 126 estudantes, com idade que varia entre 13 e 18 anos, terão duas aulas por semana, divididos em três turmas, sendo uma de inglês e duas de informática. Neste módulo, as aulas seguem de 9 de abril até junho.

Durante a abertura das aulas, o presidente do TJPE falou de sua trajetória como estudante até a sua aprovação como juiz em concurso público, enfatizando a importância do estudo, que os seus pais lhes ensinaram a valorizar, para a sua habilitação na magistratura. “A partir de meus pais, aprendi que meu melhor amigo é o livro, seja de português, geografia ou matemática. Vocês, com as aulas de informática, irão acessá-los no seu formato digital e se capacitar a lê-los, no futuro, em outros idiomas como o inglês. Não desistam dos livros, porque, através deles, vocês conquistarão a dignidade como profissionais e seres humanos”, declarou o desembargador Adalberto de Oliveira Melo.

O superintendente do Sesi-PE, Nilo Simões, no mesmo sentido, também falou sobre a importância dos estudos. “O TJPE está proporcionando uma oportunidade para que os estudantes do Coque melhorem suas vidas e o mundo através da educação. Nós, que oferecemos ensino a 5 mil alunos, filhos de trabalhadores do ‘chão de fábrica’ das indústrias, estamos felizes de participar mais uma vez do Justiça Libertadora.”

A solenidade contou com a participação também do diretor do Fórum, juiz Gleydson Lima; dos assessores da Presidência, juiz João Targino e Cristiano da Fonte; do gerente da unidade de Educação do Sesi-PE, Michael Groarke; do coordenador pedagógico da ABCC, Aldir Teodózio; e dos vice-diretores escolares Jonathan de Araújo Neves e Carlos Vicente.

Estudantes e representantes do Sesi e do TJPE posam na escadaria do Fórum do Recife

Os presidentes do Sesi-PE e do TJPE exibem a camisa do programa Justiça Libertadora

Escolhas e expectativas – “Os jovens foram escolhidos entre os estudantes de maior assiduidade e melhor desempenho escolar de três escolas estaduais do Coque: Professor José da Costa Porto, Monsenhor Leonardo de Barros Barreto e Centro de Referência Joaquim Nabuco”, explica Teodózio. As aulas serão ministradas pelos professores Márcio Santana (Informática) e Isayana Karla (Inglês).

Para Andrea Lucia Lemos de Santana, moradora do Coque há 40 anos, o projeto é uma oportunidade para o seu filho Lucas, de 16 anos, que cursa o 2º ano do ensino médio, ter um futuro profissional melhor a partir das aulas de Informática do Justiça Libertadora. Além do rapaz, ela é mãe de mais dois jovens e avó de um neto. “Ele vai aproveitar essa oportunidade”, disse.

Um futuro melhor é o objetivo também do estudante Helton Marcos Balbino Lins da Silva, 14 anos, que cursa o 9º ano do ensino fundamental e mora no Coque há cinco anos com sua mãe e dois irmãos. Ele escolheu frequentar as aulas de inglês para participar de intercâmbios e assim poder estudar fora do Brasil. “Se eu conseguir ser jogador de futebol, um dia, meu sonho; saber inglês também vai me ajudar em times estrangeiros”, conta.

.................................................................................
Texto: Izabela Raposo | Ascom TJPE
Fotos: Agência Rodrigo Moreira