Notícias Notícias

Voltar

Pernambuco tem 25,9 mil pessoas privadas de liberdade

Equipes trabalhando em sala no Fórum do Recife

Parte da equipe do Judiciário, que atuou no cadastramento de pessoas privadas de liberdade, em sala montada no Fórum do Recife. Mobilização ocorreu em todo o Estado

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) divulgou o número de pessoas privadas de liberdade em Pernambuco: 25.914. Os dados foram obtidos com base nas informações fornecidas por servidores e magistrados do Poder Judiciário estadual no cadastramento realizado através do Banco Nacional de Monitoramento de Prisões (BNMP 2.0). Confira as fotos das equipes de trabalho no álbum da Justiça pernambucana no Flickr.

“Unimos equipes para realizar o cadastramento no menor tempo possível, com esforço de servidores e magistrados de setores administrativos e judiciários, das Varas de todo o Estado, da Corregedoria, de Gestão de Pessoas, Infraestrutura, Comunicação e Tecnologia. O BNMP traz mais transparência e fornece um panorama da real situação de presos em Pernambuco e no Brasil”, lembra o presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), desembargador Adalberto de Oliveira Melo.

Das 25.914 pessoas cadastradas no Estado*, 24.878 são homens e 1.036 são mulheres. Desse universo, 15.048 estão em execução definitiva de pena; 10.749 são presos provisórios; e 117 estão internados. Do total de sentenciados, 4.667 são procurados e 1.106 estão foragidos. 

Em abril deste ano, o secretário-geral do CNJ, juiz Júlio Ferreira de Andrade, esteve com o desembargador Adalberto de Oliveira Melo, no Recife, para conversar sobre o BNMP. Na ocasião, o presidente do TJPE se comprometeu a aumentar o número de servidores envolvidos na alimentação do sistema, o que ocorreu com êxito.

No Brasil, 16 estados concluíram o cadastramento até esta terça-feira (29/5) através de mutirões de servidores para acelerar a inclusão dos presos no sistema. São eles: Roraima, Amazonas, Acre, Amapá, Alagoas, Rio Grande do Norte, Piauí, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Tocantins, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul e Espírito Santo.

Até 30 de maio, 431.679 pessoas privadas de liberdade foram cadastradas em todo o País. Elas representam 33% do total estimado de homens e mulheres com previsão para cadastramento no BNMP.

Desenvolvido pelo CNJ, o BNMP 2.0 e é um sistema que vai permitir que a Justiça visualize, em qualquer parte do Brasil, com poucos cliques no computador, se a pessoa presa já responde por um ou mais crimes em outros estados do País, por exemplo. A ferramenta vai revelar, com precisão e em tempo real, a verdadeira população carcerária.

Confira o mapa de monitoramento do cadastro no BNMP 2.0 AQUI.

*Matéria atualizada em 30 de maio de 2018
..................................................................................................................................................................................
Texto: Francisco Shimada | Ascom TJPE – Com informações de Paula Andrade | Agência CNJ de Notícias
Foto: Assis Lima | Ascom TJPE