Notícias Notícias

Voltar

TJPE promove 6º Encontro Nacional de Tecnologia da Informação da Justiça Estadual

Autoridades estão posicionadas em mesa de evento na EsmapeO 6º Enastic está sendo realizado no auditório Desembargador Nildo Nery dos Santos, localizado na Esmape

Pernambuco é sede do 6º Encontro Nacional de Tecnologia da Informação da Justiça Estadual (Enastic). O objetivo do evento é debater a modernização dos processos e gestão em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) no Judiciário estadual. Promovido pela Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação do Tribunal de Justiça de Pernambuco (Setic/TJPE), o  encontro reúne magistrados, diretores e servidores técnicos da área de TI dos tribunais de Justiça de todo o país, no auditório da Escola Judicial do Estado (Esmape/TJPE) até esta sexta-feira (26/4). Confira mais fotos do evento.

A abertura do evento foi realizada pelo presidente do TJPE, desembargador Adalberto de Oliveira Melo, que destacou a relevância da promoção do encontro para o desenvolvimento de um serviço na Justiça cada vez mais eficaz para o jurisdicionado no país. “O progresso tecnológico está intimamente ligado à evolução humana. Iniciativas como a realização desse encontro buscam reunir os melhores profissionais da área para a construção inovadora de meios capazes de unir os conceitos de tecnologia, de acessibilidade, e de utilidade, mas acima de tudo o conceito de humanidade. O bom uso dos serviços de tecnologia da informação e comunicação tem impacto direto na vida de cada pessoa”, declarou.

O presidente também ressaltou os avanços na área criados e executados pelo Judiciário estadual pernambucano. “Fomos o segundo Tribunal estadual do país a ultrapassar a marca de um milhão de processos com tramitação eletrônica. O PJe está presente em todas as 150 comarcas do estado, trazendo mais rapidez, transparência e economia às atividades jurisdicionais. Instalamos a comissão para a aplicação de soluções em Inteligência Artificial já responsável pela criação de Elis, um sistema com Inteligência Artificial voltado à análise de processos de executivo fiscal. Também estamos fazendo, a exemplo de outras instituições, o uso de aplicativos e mensagens instantâneas para agilizar a comunicação com as partes processuais. Estamos em fase de criação de ferramentas voltadas, por exemplo, ao acompanhamento contínuo de medidas protetivas, tudo isso seguindo o lema adotado pela nossa gestão “Inovando para Pacificar e Unir a Sociedade” com benefício direto à população”, afirmou.

Dirigente da Setic Juliana Neiva fala em evento sobre Tecnologia da InformaçãoA secretaria de Tecnologia da Informação Juliana Neiva destacou a participação de 35 tribunais no 6º Enastic

A secretária de Tecnologia da Informação e Comunicação, Juliana Neiva, falou na sequência, enfatizando a história do evento, que começou em 2014, no Tribunal de Justiça de Rondônia, e o crescimento da inciativa ao longo dos anos, especialmente em relação a participação de membros da magistratura. “Gostaria de registrar que ao longo dessas edições conseguimos contar com uma presença cada vez maior de magistrados, estreitando a relação de ideias em relação a tecnologias e inovações dentro dos tribunais. O TJPE tem a honra de sediar o evento, que já conta com números recordes. Para nossa alegria contamos com a presença de 35 tribunais, sendo 26 estaduais, três militares, e seis órgãos representantes do Judiciário federal, incluindo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). No total, contamos com mais de 250 inscritos, sendo 30 magistrados. Agradeço ao presidente do TJPE por ter apoiado a ideia de sediar esse encontro”, observou.

Para o diretor-geral da Esmape, desembargador Jones Figueiredo, que proferiu um discurso em seguida, a realização do Enastic em Pernambuco representa uma validação histórica do estado em TIC. O magistrado lembrou do início do desenvolvimento do TJPE no setor de tecnologia há 35 anos, com a criação do primeiro plano diretor de Informática, em 10 de abril de 1984. “Foi um plano modesto, do qual fiz parte, mas já se discutia as plataformas digitais, nos trouxe as primeiras experiências práticas na área e já começamos dali a projetar o futuro. Hoje, usamos a tecnologia não só para monitorar em tempo real a duração de um processo, mas também no rastreamento de decisões e na criação da Jurisprudência. O TJPE, através da Setic capitaneada por Juliana Neiva, tem a qualificação necessária para que possamos empreender avanços significativos nessa área com pesquisas e ações. A realização desse encontro é uma importante ferramenta da melhoria da prestação da Justiça em todo o país. Sejam bem-vindos à Escola Judicial”, declarou.

Especialista é fotografado em momento de seu pronunciamento no 6º EnasticSílvio Meira enfatizou que a tecnologia deve atender prioritariamente ao seu usuário no serviço público 

Após o discurso do desembargador, foi realizada a primeira palestra do evento com o professor e PhD em computação Sílvio Meira. Ele abordou a transformação digital na sociedade e a necessidade de adaptação do mercado a essa nova realidade. “Hoje 35% de todas as transações comerciais no Brasil dependem do universo digital. O Brasil é hoje o segundo país em que a população passa mais tempo conectada à Internet, numa média de 9h30 por dia, perdendo apenas para as Filipinas, em que essa média é de 10 horas por dia. A estimativa é que temos no pais cerca de 130 milhões de pessoas conectadas à Internet. Então, é preciso que os empreendimentos se adaptem às novas tecnologias e tragam formas inovadoras de comercializar produtos, oferecendo um serviço cada vez mais eficiente ao consumidor sob pena de perder a clientela. Por isso, o investimento em empresas que fazem tecnologia no ambiente legal cresceu 713% entre 2017 e 2018. O mercado sabe que precisa evoluir e se adaptar ao universo digital”, observou.

O professor destacou os órgãos públicos dentro desse crescimento digital e a evolução empreendida para oferecer um serviço mais eficiente à população. “Quando se cria plataformas digitais hoje no Judiciário, ou em qualquer instituição pública no mundo, ela é construída tanto para a utilização do público interno quanto do externo. Todas as ferramentas devem ser pensadas para que haja o atendimento global, assim como acontece com o Processo Judicial eletrônico, que foi pensado para ser usado pela população e pelos profissionais que integram ou participam diretamente do Judiciário como advogados, magistrados e servidores. A eficiência depende da praticidade com que o sistema é acessado e se atende a demanda de quem o utiliza”, avaliou.  

Mesa do evento – Compuseram a mesa de abertura do evento, o presidente do TJPE, desembargador Adalberto de Oliveira Melo, o corregedor geral de Justiça do Estado, desembargador Fernando Cerqueira; o presidente do Tribunal de Justiça de Rondônia, desembargador Walter Waltenberg Silva Júnior; o diretor-geral da Esmape, desembargador Jones Figueiredo; a secretária de Tecnologia da Informação e Comunicação, Juliana Neiva; e a secretária-geral do Conselho de Justiça Federal, juíza federal Simone dos Santos. Confira a programação do evento.

Confira também:

Integrantes do TJPE apresentam ferramenta de Inteligência Artificial em eventos

..............................................................................
Texto: Ivone Veloso  | Ascom TJPE
Fotos: Assis Lima  | Ascom TJPE