Notícias TJPE Notícias TJPE

Voltar

TJPE homenageia membros do MPPE em celebração aos 200 anos de criação do Tribunal de Justiça de Pernambuco

Em solenidade presencial, realizada na manhã desta terça-feira (30/11), o presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), desembargador Fernando Cerqueira Norberto dos Santos, conferiu medalha e diploma comemorativo do Mérito Judiciário aos membros do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e integrantes do Colégio de Procuradores de Justiça. O evento, que foi realizado na sede do MPPE, teve como objetivo homenagear a instituição parceira do Judiciário estadual com foco nas celebrações de aniversário do Tribunal da Relação de Pernambuco, que, em fevereiro deste ano, completou 200 anos de sua criação.  

Para a cerimônia simbólica, o chefe do Poder Judiciário estadual foi recebido pelo procurador-geral de Justiça do MPPE, o promotor de Justiça Paulo Augusto de Freitas Oliveira, que foi o primeiro homenageado com as comendas comemorativas do TJPE. Na ocasião, e representando todos os membros do Ministério Público pernambucano, foram agraciados com a medalha e o diploma do mérito judiciário os procuradores Paulo Roberto Lapenda Figueiroa, Selma Magda Pereira Barbosa Barreto, Mário Palha, Nelma Ramos Maciel Quaiotti, Lúcia de Assis, Fernando Barros, Maviael de Souza Silva e Valdir Barbosa Júnior. Também foi homenageado o diretor da Escola Superior do MPPE, o procurador Sílvio José Menezes Tavares.

O presidente do TJPE, desembargador Fernando Cerqueira, ressaltou que a homenagem que vem sendo realizada pelo Poder Judiciário este ano tem como intuito se estender a todas as personalidades e instituições que são parceiras do Tribunal em sua missão de oferecer prestação jurisdicional eficiente aos cidadãos. Citou também um breve histórico voltado para a criação da Corte Recursal do Tribunal da Relação de Pernambuco, destacando que, em 2022, a programação comemorativa seguirá com a celebração de dois séculos de instalação do Tribunal.

"Eu cumprimento todos os membros do Ministério Público e do Colégio de Procuradores do órgão. Há 40 anos ingressei na magistratura, e exercer o cargo de presidente do Tribunal no ano em que esta Corte completa 200 anos de sua criação é muito significativo. Estampar a história do Poder Judiciário estadual numa lembrança e poder levá-la aos principais órgãos de Pernambuco e do país é motivo de grande orgulho, principalmente ao Ministério Público, que faz parte do Sistema de Justiça, e das instituições é a única com poder de ação pública em defesa da sociedade, representando tão bem o povo", afirmou o desembargador.

O procurador-geral de Justiça do MPPE, Paulo Augusto de Freitas, agradeceu ao presidente do TJPE pela simbólica homenagem, e em sua fala citou como característica peculiar da atual gestão do Poder Judiciário estadual o reconhecimento e o acolhimento com que o Tribunal mantém as relações institucionais com os órgãos parceiros. "Agradecemos ao Tribunal de Justiça, na pessoa do seu atual presidente, por nos outorgar essa comenda e também por buscar sempre a união entre as instituições, algo que só traz benefícios aos cidadãos", pontuou o promotor de Justiça.

Tribunal da Relação de Pernambuco

Em 6 de fevereiro de 1821, por Alvará Régio, era criado o Tribunal de Justiça de Pernambuco, na época chamado de Tribunal da Relação. A Corte Recursal só foi instalada no ano seguinte, em 13 de agosto de 1822, mas, como forma de preencher uma lacuna na história do Judiciário estadual, a data de criação passou a ser celebrada com a exposição da cópia do Alvará, que foi cedida pelo Arquivo Nacional, no Palácio da Justiça de Pernambuco, sede administrativa do TJPE.

O TJPE foi o quarto tribunal a ser criado no Brasil e o último do período colonial. Antes da sua concepção, o Tribunal da Bahia, o primeiro do país, tinha a jurisdição sobre Pernambuco. Originado antes da Independência do Brasil, assim como os anteriores, o Tribunal de Relação de Pernambuco era subordinado ao governo do Reino e possuía como principais competências tratar das leis da administração da Justiça e de questões referentes à segurança pessoal e aos direitos de propriedade. No Alvará Régio, foram explicitadas algumas justificativas para a criação de uma Corte Recursal em Pernambuco.

....................................................................
Texto: Redação | Ascom TJPE
Fotos: Ademar Filho | K9 Produções e Eventos