Notícias

Voltar

80º Encoge reúne corregedores dos tribunais de Justiça de todo o país para discutir eficiência, gestão e tecnologia

Marca do Encoge com a uma sobrinha de frevo estilizada

Pernambuco sedia o 80º Encontro do Colégio Permanente de Corregedores-Gerais dos Tribunais de Justiça do Brasil (Encoge), que acontece desta quinta-feira (7/2) até o dia 9 de fevereiro, no Recife. A reunião, que tem como tema Eficiência, Gestão e Tecnologia, busca promover o intercâmbio de experiências e compartilhamento de conhecimentos entre as Corregedorias Gerais de Justiça visando à apresentação de propostas de melhoria para uniformização e eficiência da atuação jurisdicional, além de fortalecer o papel institucional dos órgãos de controle e correção da atividade judicial.

A abertura do encontro acontece às 17h, na quinta-feira (7/2), no Palácio da Justiça, Bairro de Santo Antônio. O ministro do Superior Tribunal de Justiça e Corregedor Nacional de Justiça, Humberto Martins, fará uma palestra sobre as metas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o cumprimento do horário de expediente pelos magistrados.

Na sexta-feira, a programação segue com a realização de uma plenária e de oficinas na Escola Judicial de Pernambuco (Esmape), a partir das 8h. Entre os temas que serão discutidos, estão o Combate à Fraude Previdenciária: Cooperação Interinstitucional entre o INSS e as Corregedorias-Gerais dos Tribunais de Justiça, Controle do Teletrabalho pelas Corregedorias, Violência Doméstica e familiar contra a mulher e Regularização Fundiária. Ainda será apresentada a palestra sobre Tecnologia da Informação para a fiscalização estratégica - Projetos SICOR / SICASE, do Tribunal de Justiça Pernambuco.

Segundo corregedor geral da Justiça de Pernambuco e presidente do Colégio Permanente de Corregedores-Gerais dos Tribunais de Justiça do Brasil, desembargador Fernando Cerqueira, os desembargadores corregedores irão focar exclusivamente em assuntos institucionais, ao passo que os juízes corregedores auxiliares integrarão oficinas para análise das demais questões de interesse das corregedorias gerais de Justiça, proporcionando uma reflexão conjunta e adoção de medidas similares pelos órgãos censores. 

“Aspiramos que o encontro, ao congregar magistrados de Estados com realidades, necessidades e características tão diversas, propicie, ante a diversidade de ideias e boas práticas existentes em cada corregedoria estadual, um ambiente proveitoso para o aprimoramento da atuação correicional”, explicou.
.................................................................................................
Texto: Rebeka Maciel | Ascom CGJ
Imagem: Natalie de Jesus | Ascom CGJ