Pular para o conteúdo
 

 

Perguntas e Respostas Frequentes

Voltar

A criança deve saber que foi adotada?

5. A criança deve saber que foi adotada?

Sempre a verdade deve prevalecer nas relações. Por isso a orientação é de que se conte ao filho sua condição de adotivo, pois "mentiras e segredos" geram no futuro efeitos danosos.

Conviver com a mentira é difícil e causa sofrimento, tanto para os pais adotivos quanto para a criança. Além do risco da criança saber sobre suas origens através de terceiros e, com isso, sentir-se traída e perder a confiança nos pais.

Na adoção o importante é que essa história da criança seja contada o mais cedo possível, sem culpa, sem medo e com amor, tirando proveitos de situações que acontecem no dia a dia, para que a criança passe a introduzir de forma natural esse aspecto da realidade em sua história de vida.

As experiências mostram que o medo que os pais adotivos têm da revelação não tem fundamento. Tudo depende de como essa criança venha a saber, e de como essa família lida com a questão.

Os pais adotivos que tiverem dificuldade de revelar ao filho sua condição de adotivo podem contar com a ajuda do Grupos de Apoio à Adoção - GEAD (Rua Visconde de Albuquerque, nº 775  Madalena), com reuniões nos segundos sábados do mês, às 16:00 horas, formado por psicólogos, pais e filhos adotivos, além da participação de pessoas da comunidade preocupadas com o abandono e interessadas em promover os direitos da criança à vida em família.

Para ajudar na revelação, existem diversos livros de literatura infantil que explicam à criança o significado da adoção, seu funcionamento e a importância das crianças na vida dos pais.