Notícias

Voltar

Garanhuns inaugura Câmara Privada de Conciliação e Mediação

Presidente do TJPE, desembargador Adalberto de Oliveira Melo prestigiou solenidade em Garanhuns

Presidente do TJPE, desembargador Adalberto de Oliveira Melo prestigiou solenidade em Garanhuns

Os moradores de Garanhuns, no Agreste, ganharam um reforço na resolução pacífica de conflitos. O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), através do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), inaugurou, na sexta-feira (3/5), a Câmara Privada de Conciliação e Mediação em parceria com a Autarquia do Ensino Superior de Garanhuns (Aesga). A unidade vai funcionar na avenida Caruaru, 508, bairro de São José. No total, 32 Câmaras Privadas estão em funcionamento em todo o Estado. Confira as fotos da solenidade AQUI.

O presidente do TJPE, desembargador Adalberto Oliveira, falou do esforço de se manter uma proximidade entre Justiça e população, incentivando ambientes propícios à resolução de conflitos. “Atualmente, mais de dois milhões de processos tramitam na Justiça de Pernambuco. Esse dado reforça a confiança da população em nosso trabalho, porém, também pode revelar o quão conflituosa está a nossa sociedade. A inauguração desta Câmara, a trigésima segunda no Estado, é mais um esforço de todos nós em busca de ajudar a solucionar os conflitos que afligem as pessoas”, enfatizou o magistrado.

Integrantes do TJPE e da Aesga descerram placa de inauguração

Unidade inaugurada passa a funcionar no bairro de São José

As Câmaras Privadas são vinculadas ao Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) das respectivas jurisdições. Coordenadora da Unidade na comarca de Garanhuns, a juíza Maria Betânia Duarte Rolim destacou a mudança cultural que a medida pode proporcionar. “Trata-se de uma das mais importantes políticas públicas de distribuição de Justiça, na medida em que incentiva a solução dos conflitos por meio do diálogo e oportuniza, como consequência desse ato de cidadania, encerrar o conflito entre as pessoas, não só o processo. Com a parceria do meio acadêmico, alcançaremos a tão pretendida mudança cultural, na medida em que incentivaremos a transição da chamada cultura do litígio para a cultura da pacificação”, explicou a magistrada.

A presidente da Aesga, Suianne Melo, falou sobre os benefícios que a comunidade e o meio acadêmico podem, juntos, alcançar com a implantação da Câmara Privada de Conciliação e Mediação no município. “Na expectativa de levar o nosso trabalho junto à comunidade e ajudar também os órgãos de gestão pública amenizar os problemas da população, a gente espera também impactar na comunidade de maneira positiva e trazer uma vivência profissional positiva para os nossos profissionais de direito. É um marco para a nossa instituição”, declarou a dirigente.

Estiveram presentes à solenidade de inauguração integrantes do Judiciário; membros da Autarquia do Ensino Superior de Garanhuns; e diversas autoridades locais. Para conhecer um pouco mais sobre as Câmaras e onde estão instaladas, batas clicar AQUI.
.....................................................................................................
Texto: Amanda Machado | Ascom TJPE
Fotos: Silla Cadengue | Cacoete Produções | Ascom TJPE