Notícias Notícias

Voltar

Governança do TJPE promove reuniões com setores da instituição para alinhar estratégias

Reunião da Governança com representantes de setores estratégicos do TJPE
Coordenador executivo da Governança, juiz Élio Braz Mendes, se reúne com representantes de setores estratégicos do TJPE

Com o objetivo de alcançar cada vez mais os objetivos e as metas traçadas pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), a Coordenadoria de Governança e Gestão de Dados promoveu duas reuniões com setores estratégicos da instituição. A primeira realizada, de forma híbrida, na segunda-feira (11/4), abordou o tema sustentabilidade. Já na terça-feira (12/4), representantes de vários setores discutiram, no auditório da Corregedoria Geral da Justiça, temas relativos ao Portal da Transparência disponibilizado no site do TJPE. Os temas fazem parte dos eixos temáticos do Prêmio CNJ de Qualidade.

"A Coordenadoria de Governança vem exercendo um papel fundamental para que o Tribunal cumpra suas metas, aumente sua produtividade e aprimore a prestação de serviços aos jurisdicionados. O acompanhamento sistemático dos projetos e a articulação entre diversas unidades são fatores indispensáveis para a instituição", diz o presidente do TJPE, desembargador Luiz Carlos Figueirêdo.

No encontro sobre sustentabilidade, unidades como Diretoria Geral, Coordenadoria de Planejamento e Gestão Estratégica (Coplan), Núcleo de Sustentabilidade, Assessoria de Comunicação (Ascom) e outros envolvidos diretamente com o tema, se reuniram para discutir o Plano de Logística Sustentável (PLS) do TJPE. “No PLS é feito uma programação histórica do que se vai gastar e o seu planejamento, atendendo aos 12 itens que se referem à economia e à sustentabilidade, no sentido de promover a melhor prestação jurisdicional com o mais baixo custo. Também conseguimos estabelecer prazos e cobranças, o monitoramento pela Governança, mas principalmente trazendo o sistema de cooperação”, afirmou o coordenador executivo da Governança, juiz Élio Braz Mendes. A ferramenta, instituída pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), deve atender aos requisitos estabelecidos pela Resolução n. 400/2021 do CNJ e ser enviada ao órgão até o dia 20 de abril.

Já na reunião sobre o Portal da Transparência, setores como Diretoria Geral, Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação (Setic), Coplan, Comissões de Licitações, Diretorias Cível e Criminal, Ascom, entre outros, formaram grupos de trabalho para sistematizar as informações e incluir dados no sistema disponível no site do Judiciário pernambucano. “Saiu um glossário do CNJ com algumas alterações e mudanças, então fizemos um alinhamento com todos os setores envolvidos no glossário e no Portal da Transparência para inserir todas as informações e pontuar como a gente deseja, apresentando o melhor do TJPE para o CNJ e para o usuário”, explicou o coordenador executivo da Governança. Até o dia 29 de abril, todo o Portal da Transparência do site do TJPE deverá estar atualizado, atendendo aos itens estabelecidos pela Portaria n. 106/2022, que regulamenta o Ranking da Transparência do Poder Judiciário. Atualmente, o TJPE se encontra entre a oitava e décima colocação do ranking referente à Justiça estadual.

Prêmio CNJ de Qualidade – Criada em 2019, a premiação tem como objetivo incentivar a excelência na gestão e no planejamento dos tribunais brasileiros através dos eixos temáticos: governança, transparência, produtividade, dados e tecnologia. Em 2021, o TJPE recebeu o Selo Prata e atualmente a instituição está buscando aperfeiçoar, ainda mais, práticas e rotinas internas para melhorar a prestação jurisdicional e com isto superar a pontuação já alcançada. 

Governança – Instituída em 2021, por meio do Ato Conjunto n .1/2021, a Governança busca monitorar, controlar, avaliar e redirecionar o planejamento estratégico da instituição. Atualmente, compõem a Coordenadoria de Governança e Gestão de Dados, o juiz Élio Braz Mendes, como coordenador executivo; o magistrado Rafael Cardozo e magistrada Raquel Barolfaldi, como subcoordenadores. “Nosso primeiro grande desafio é aperfeiçoar o fluxo de informação e rotinas internas, de forma a garantir maior eficiência na execução de ações e alcance de metas, por meio de um sistema de organização e método”, esclarece o juiz coordenador, Élio Braz Mendes.

.......................................
Texto: Cláudia Franco | Ascom TJPE
Foto: Assis Lima | Ascom TJPE