Pular para o conteúdo
 

 

Pernambuco que Acolhe

O projeto "Pernambuco que acolhe" tem como objetivo proporcionar convivência comunitária às crianças e adolescentes que permanecem nas instituições de acolhimento sem a possibilidade de retornar à família de origem e com poucas perspectivas de adoção.

O projeto é destinado a crianças (a partir dos 10 anos) e adolescentes. Também podem ser apadrinhados crianças e adolescentes com deficiência de qualquer idade. O apadrinhamento não implica vínculo jurídico entre padrinho/madrinha e afilhado(s).

Os candidatos a padrinhos/madrinhas não devem possuir demanda judicial, na qual sejam acusados, indiciados ou citados como réus ou cúmplices de crimes previstos em lei.

Tipos de Apadrinhamento

Padrinho/madrinha afetivo(a) - é aquele que, regularmente, visita a criança ou o adolescente, o qual pode levá-lo para passar finais de semana, feriados ou férias escolares em sua companhia, proporcionando, assim, a vivência social e afetiva por meio da convivência familiar. 

Padrinho/madrinha provedor(a) - é aquele que dá suporte material ou financeiro à criança e/ou ao adolescente, à instituição ou à família acolhedora, seja com doação de material, patrocínio de cursos profissionalizantes, reforço escolar, prática esportiva e até mesmo contribuição mensal em dinheiro, material de limpeza, construção, etc. 

Padrinho/madrinha profissional - é aquele(a) que disponibiliza seu trabalho voluntariamente para atender às necessidades de crianças e adolescentes em situação de acolhimento institucional. Exemplos: Médicos, Artistas, Psicólogos, Odontólogos, Fonoaudiólogos, Professores, Cabeleireiros, Músicos, entre outros profissionais (pode ser pessoa natural ou pessoa jurídica). 

Ficou interessado? Preencha o formulário online e consulte a documentação necessária!

Para mais informações, entre em contato com a CEJA através do e-mail: ceja@tjpe.jus.br ou telefone: (81) 3181.5953/5920. O horário de atendimento da Equipe Técnica é das 7h às 13h.