Boas Práticas

Voltar

Dicas para conseguir ler mais

Não são poucas as pessoas que reclamam da falta de tempo livre para ler. De fato, o mundo moderno é uma “panela de pressão” com horários, cobranças e correrias diárias. O ato de se sentar em uma poltrona ou se estirar na cama com uma boa obra literária em mãos pode ser um luxo para muitos.

Entretanto, com algumas regras básicas e disciplina, pode-se alcançar bons resultados. Se o leitor seguir à risca algumas dicas disponibilizadas aqui, talvez parte desse problema poderá ser sanado.

Vale ressaltar que isso não se trata de uma competição narcísica em relação à leitura – nem sempre quantidade significa qualidade; no entanto, quanto mais conseguirmos ler com qualidade, melhor será para nós mesmos.

Ler em todas as oportunidades

Se o tempo livre é escasso, é necessário usar todas as lacunas que aparecerem, espaços vagos para se ler ao menos uma página que seja. Esse tempo disponível pode surgir em qualquer momento. Umas dessas oportunidades está no caminho ao trabalho: milhares de pessoas aproveitam o caos dos congestionamentos da cidade para avançar em suas leituras dentro de metrôs ou ônibus.

 

Ler temas que te interessam

Um dos fatores que afastam as pessoas da literatura e dos livros é a falta de referências e desconhecimento sobre o que gostam de ler. Não adianta começar a ler algo que não está no nível de entendimento do leitor, é necessário saber em que passo ele está. Quanto mais se lê, mais prática se adquire, mais palavras, termos e detalhes se descobrem. Uma vez que se descobre a linha e temas que lhe agradam, maior a capacidade de despertar interesse.

 
Criar meta de páginas lidas por dia

Em um cálculo rápido, se o leitor percorrer apenas cinco páginas por dia, embora a maioria das pessoas possam ler muito mais do que isso, em um ano serão 1822 páginas lidas. É muita coisa se compararmos com a média de leitura do brasileiro médio. Outra coisa que pode ser feita para esse tipo de controle é criar uma lista de livros lidos, pois ao fim do ano se poderá medir os avanços. A prática nãodeve ser narcísica, ou uma brincadeira de quem lê mais, mas sim uma forma de encarar cada livro lido até o fim como uma vitória pessoal.

 

Concentração e cuidado com atitudes dispersivas

A tecnologia pode ajudar ou atrapalhar terrivelmente. Uma vez que o interessado em aumentar a quantidade de livros lidos se compromete com esse ideal, ele deve se manter fiel ao plano. Com o advento de aplicativos de mensagens, redes sociais, Netflix, TV a cabo e jogos digitais, pouco ou nada sobra de atenção a ser dada à literatura. Uma vez que o tempo dos livros não é o mesmo que o de outras formas de expressões artísticas, recomendo moderação com demais entretenimentos que não sejam os livros. Caso contrário, esses minarão suas leituras.
 
Respeite os seus limites

Por fim, respeite seus limites, não vá com muita sede ao pote. Às vezes, menos é mais, cada coisa vem no seu tempo. Se deseja ler um autor mais complexo, procure pesquisar antes livros que possam te amparar tecnicamente para se chegar à obra do tal autor.

 

Não sabe o que ler? Leia crônicas ou contos!

A crônica é um dos estilos que talvez mais expressem a contemporaneidade, por ser geralmente um texto desencanado de regras e quase sempre com senso de humor leve e sagaz, agradando leitores experientes ou não. Não há quem não goste da obra de Luis Fernando Veríssimo, por exemplo. É possível ler uma compilação de crônicas apenas indo para o trabalho ou em um dia de folga. Portanto, mãos à obra.

O conto, assim como a crônica, é um texto mais leve e curto, por isso pode render altos números de páginas lidas diariamente, principalmente para quem ainda não encara um romance mais extenso. É perfeitamente possível ler muitos livros no espaço de um ano, ainda mais se estes forem de contos.


..................................................
Fonte: Homo Literatus
Fotos: Getty Images